Número de inscritos nos centros de emprego em agosto cai 19,1% em termos homólogos

Número de inscritos nos centros de emprego em agosto cai 19,1% em termos homólogos

 

Lusa/AO Online   Economia   19 de Set de 2018, 13:14

O número de desempregados inscritos nos serviços de emprego totalizou em agosto 338.147, uma descida de 19,1% face ao mesmo mês de 2017, mas um aumento de 2,3% em relação a julho, foi hoje anunciado.

De acordo com a Análise Mensal do Mercado do Emprego, divulgada pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), “o total de desempregados registados no país foi inferior ao verificado no mesmo mês de 2017 (-80.088; 19,1%), tendo aumentado em relação ao mês anterior (+7.560; +2,3%)”.

Para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2017, “contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para os homens, os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos, os inscritos há um ano ou mais, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o 1.º ciclo básico”.

Já o aumento face ao mês anterior fez-se sentir, particularmente, nas mulheres, na procura de novo emprego, em inscrições com menos de um ano e em habilitações de nível superior.

Em agosto, inscreveram-se nos serviços de emprego 40.869 desempregados, número inferior ao do mesmo mês de 2017 (-1727; -4,1%). Comparando com o mês anterior, o volume de inscrições foi superior (+973; +2,4%).

A nível regional, face a agosto de 2017, o desemprego registado diminuiu em todas as regiões, com as descidas mais acentuadas a pertencerem à região Norte (-21,2%) e ao Alentejo (-19,9%).

Já na comparação mensal, foram registados aumentos nas cinco regiões do Continente.

Por grupos profissionais dos desempregados registados no Continente destacaram-se os “trabalhadores não qualificados” (25,6% do total), os “trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores” (19,3% do total) e "especialistas das atividades intelectuais e científicas" (12,0% do total).

Face a agosto de 2017, a maior descida percentual pertenceu ao grupo dos “trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices” (-27,0%), seguido dos “operadores de instalações e máquinas e trabalhadores de montagem" e "especialistas das atividades intelectuais e científicas"(ambos com -21,0%).

As ofertas de emprego recebidas ao longo de agosto totalizaram 10.411 em todo o país, ligeiramente abaixo do mês homólogo de 2017(-33; -0,3%) e acima do mês anterior (+531; +5,4%).

As atividades com maior expressão nas ofertas de emprego recebidas (dados do Continente) foram as “atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio”(34,5%) e "comércio por grosso e a retalho” (11,1%).

As colocações realizadas durante o mês de agosto totalizaram 7.022 em todo o país.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.