Açoriano Oriental
Eleições no Paquistão
Nawaz Sharif entrega candidatura para legislativas de 8 de Janeiro
O antigo primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif entregou em Lahore (leste) a candidatura às eleições legislativas previstas para 08 de Janeiro, depois de ter regressado domingo de sete anos de exílio na Arábia Saudita.
Nawaz Sharif entrega candidatura para legislativas de 8 de Janeiro

Autor: Lusa / AO online
Sharif entregou último dia do prazo os documentos necessários à candidatura num tribunal de Lahore, onde foi recebido por milhares de simpatizantes no domingo e prometeu mais uma vez não voltar a trabalhar com o Presidente do Paquistão, Pervez Musharraf.

“O meu partido (Liga Muçulmana do Paquistão-N) nunca se juntará a um governo de coligação com o Presidente Musharraf”, declarou Sharif, desmentindo informções veiculadas pela imprensa paquistanesa segundo as quais Sharif teria assinado um acordo secreto com Musharraf para regressar ao país.

Entretanto, a ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto também voltou a dizer que está pronta a fazer uma aliança com o rival dos anos 1990, Sharif.

“Estamos prontos a formar uma aliança com todos os partidos políticos moderados”, referiu Bhutto na aldeia de Larkana, de onde é originária.

Os partidos da oposição têm vindo a ameaçar nos últimos quinze dias boicotar as eleições legislativas se o estado de emergência, imposto no país a 03 de Novembro, se mantiver.

Um membro do governo assegurou que o presidente paquistanês, general Pervez Musharraf, deverá tomar posse na próxima quinta-feira, mas “à civil”.

Sharif, que chefiou o governo paquistanês entre 1990 e 1993 e entre 1996 e 1999, foi expulso pelo actual chefe de Estado, general Pervez Musharraf, na sequência de um golpe de estado.

Dois anos mais tarde, Sharif, condenado a prisão perpétua por corrupção e desvio de fundos públicos quando chefiava o governo paquistanês, assinou com o governo de Musharraf um acordo que lhe permitiu exilar-se na Arábia Saudita, mas com a promessa de não exercer qualquer actividade política relativa ao Paquistão.

A 10 de Setembro último, depois do Supremo Tribunal paquistanês ter recusado a validade deste acordo, o ex-primeiro-ministro tentou regressar ao Paquistão, mas apenas durante algumas horas, pois foi forçado a regressar à Arábia Saudita.
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.