Ministro manda reavaliar situação de agentes e militares requisitados para que regressem à PSP e GNR

Ministro manda reavaliar situação de agentes e militares requisitados para que regressem à PSP e GNR

 

Lusa/Aonline   Nacional   1 de Set de 2011, 19:16

Os agentes da PSP e os militares da GNR que se encontram requisitados e em funções não policiais vão ver a sua situação reavaliada com vista ao seu eventual regresso às corporações, anunciou hoje no Parlamento o ministro da Administração Interna.

"Perante um elevado número de agentes policiais que estavam fora da PSP em funções não policiais, foram dadas instruções claras para uma reavaliação de todos os casos e o regresso ao serviço de todos os que não fossem imprescindíveis nos serviços que os requisitaram", disse Miguel Macedo na Assembleia da República, onde os deputados analisaram os resultados do Relatório Anual de Segurança Interna de 2010.

Idêntica "reavaliação caso a caso" foi determinada em relação aos militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) que se encontram requisitados por outras instituições, "tendo em vista assegurar o seu contributo na primordial função de segurança" ao serviço da corporação.

"E tudo por uma gestão criteriosa dos recursos, de forma a melhorar a operacionalidade das forças", salientou o governante, que acrescentou: "Estamos a fazer alterações profundas do dispositivo da Polícia de Segurança Pública (PSP) nos grandes centros urbanos. Já está neste momento a ocorrer no Porto, seguir-se-á em breve Lisboa".

Essas "mudanças têm três objetivos fundamentais: maior visibilidade, maior capacidade operacional e maior proximidade das forças de segurança", explicou.

"Quero dizer a todos os portugueses que temos um País seguro, queremos continuar a ter um País seguro e estamos empenhados e preparados para combater qualquer ameaça à segurança do Estado e dos cidadãos em qualquer ponto do território nacional", disse também Miguel Macedo.

E foi "justamente com uma palavra de confiança nas forças de segurança" que o ministro terminou a sua intervenção, em que revelou ainda estar para breve a apresentação de um programa de reforço da segurança das pessoas que vivem nos meios rurais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.