Telecom

Lucro Vivo, da PT, aumentou 73 por cento até Setembro


 

Lusa/AO Online   Economia   5 de Nov de 2009, 11:58

A Vivo registou lucros de 635,9 milhões de reais (249,4 milhões de euros) nos nove primeiros meses de 2009, um aumento de 72,7 por cento face ao período homólogo de 2008, informou hoje a maior operadora móvel do Brasil.

Contribuíram para o resultado da operadora, detida em partes iguais pela Portugal Telecom (PT) e pela Telefónica, a melhoria do desempenho operacional e financeiro, afirmou o presidente da empresa.

Roberto Lima disse, numa conferência de imprensa de apresentação dos resultados, que a Vivo tem superado todas as demais concorrentes no atendimento e na qualidade dos serviços prestados.

No terceiro trimestre, o lucro da Vivo foi de 340 milhões de reais (133,33 milhões de euros), um aumento de 154 por cento em relação ao período homólogo de 2008.

Nos nove primeiros meses deste ano, a receita de serviços da operadora ascendeu a 11,08 mil milhões de reais (4,34 mil milhões de euros), um aumento de 6,8 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e provisões) aumentou 9,6 por cento para 3,8 mil milhões de reais (1,49 mil milhões de euros), no período em análise.

A margem EBITDA aumentou 1,5 pontos percentuais na comparação anual, para 31,6 por cento.

Em Setembro de 2009, o número de utilizadores da Vivo ascendeu a 49 milhões, um aumento de 15,5 por cento nos últimos 12 meses, o que representa uma quota de mercado de 31,4 por cento.

Roberto Lima sublinhou que a operadora encerrou o trimestre com um market share um pouco acima do trimestre anterior, mas sem prejudicar o resultado operacional, através de uma “política de preços agressiva".

O endividamento ascendeu a 4,2 mil milhões de reais (1,65 mil milhões de euros) no terceiro trimestre, acima dos 4,0 mil milhões de reais (1,57 mil milhões de euros, ao câmbio actual), em Setembro de 2008.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.