Líder da oposição no Reino Unido defende a exclusão dos banqueiros que cometam erros


 

Lusa / AO online   Internacional   11 de Set de 2011, 13:29

O líder da oposição britânica, Ed Miliband, defendeu que os banqueiros que falhem devem ser excluídos da profissão, numa entrevista publicada hoje no Sunday Times, na véspera da apresentação de uma ambiciosa reforma para o sector.

"Os banqueiros dizem que o tempo para sentir remorsos é longo, mas não é suficiente. Eu acho que nada mudou. Ninguém paga o que aconteceu e isso faz com que as pessoas se sintam zangadas”, afirmou o líder dos Trabalhistas.

Ed Miliband sugeriu a exclusão da profissão dos banqueiros que assumem riscos inaceitáveis ou que vendem indevidamente certos produtos aos seus clientes, da mesma forma que um médico pode ser suprimido da profissão médica caso cometa uma falha grave.

"Francamente acho que a profissão deve assumir a responsabilidade e demitir pessoas que tenham errado", insistiu.

As declarações surgem na véspera da apresentação de uma proposta de reforma do sector bancário, algo que está a inquietar os “lobbie” financeiros e que se destina a isolar a operações de investimento dos bancos, de forma a proteger os depósitos dos particulares de um possível colapso dos mercados financeiros.

Porém, após a apresentação do relatório final da comissão independente sobre a questão, o Governo do primeiro-ministro conservador David Cameron deverá deixar passar alguns meses antes de tomar uma decisão definitiva.

Cameron deverá ter em atenção que a opinião pública tem-se mostrado contra os bancos.

O resgate dos bancos durante a atual crise financeira deve-se, em grande parte, ao deficit recorde sentido no Reino Unido.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.