Açoriano Oriental
Jorge Jesus confiante em vencer prova “que tem o mesmo prestígio da ‘Champions’"

O treinador do Flamengo, o português Jorge Jesus, manifestou-se esta sexta feira “confiante” num triunfo sobre os argentinos do River Plate, na final da Taça Libertadores de futebol, uma competição que tem “o mesmo prestígio” da Liga dos Campeões europeus.

article.title

Foto: Mário Cruz/Lusa
Autor: AO Online/ Lusa

“No dia em que decidi vir para o Flamengo, num almoço com a minha equipa técnica, disse-lhes para prepararem as malas, porque íamos trabalhar para o Brasil e íamos ser finalistas da Libertadores. Vínhamos com essa ideia”, afirmou Jorge Jesus, em conferência de imprensa.

O técnico do Flamengo falava na antevisão da final da Libertadores, que vai opor o conjunto do Rio de Janeiro aos argentinos do River Plate, detentores do troféu, no sábado, em Lima, no Peru.

“Sentimos felicidade por estarmos na final e muita confiança, sabendo que vamos encontrar um rival muito forte, com mais experiência do que nós nesta competição e que vai disputar a terceira final [nos últimos cinco anos]. Mas não nos assustamos com isso. Sabemos o nosso valor e o que somos capazes de fazer”, salientou.

Jorge Jesus considerou que a Taça Libertadores tem “um prestígio igual à ‘Champions’ [Liga dos Campeões europeus]”, pelo que o Flamengo está “próximo de atingir um objetivo muito importante”.

De resto, o treinador português, de 65 anos, reforçou um desejo antigo: “Claro que ainda penso chegar à final da ‘Champions’.”

Jesus referiu que a final da Libertadores vai opor “duas equipas com muitos aspetos parecidos no jogo ofensivo, mas completamente opostas defensivamente” e alinhou pelo diapasão do treinador do River Plate, Marcelo Gallardo, revelando igualmente o ‘onze’ que vai entrar de início no Estádio Monumental, em Lima.

“Se não acontecer nada até à hora do jogo, vai ser a mesma equipa que tem vindo a jogar: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Filipe Luís, Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro, De Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel Barbosa. É a constituição que dá mais segurança e, numa final, um treinador não vai inventar nada”, revelou.

Por outro lado, esquivou-se a responder à possibilidade de abandonar o Flamengo, caso vença a Libertadores: “Não é altura para falarmos nisso. Tenho contrato com o Flamengo até junho.”

Ao lado do técnico na conferência de imprensa esteve Éverton Ribeiro, um dos ‘capitães’ do Flamengo, que destacou “o momento único” que o clube está a viver.

“Temos a chance de levantar a Taça. É o maior objetivo do nosso ano, entrar na história do Flamengo. Sabemos as dificuldades que vamos ter, mas também sabemos o quanto trabalhámos para chegar aqui. Estamos preparados para fazer um grande jogo”, observou o médio criativo, de 30 anos.

Perante um adversário “muito competente, que tem chegado às finais e sido campeão”, Everton antecipou um “jogo disputado, por ser uma final”, ainda que acredite que ambas as equipas estão “preparadas para jogar futebol”.

Flamengo, vencedor da prova em 1981, e River Plate, campeão em 1986, 1996, 2015 e 2018, disputam a final da 60.ª Taça Libertadores no sábado, a partir das 20:00 (hora de Lisboa), no Estádio Monumental, no Peru.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.