Energia

Jaime Gama defende nuclear no cabaz energético português

Jaime Gama defende nuclear no cabaz energético português

 

Lusa/AOonline   Economia   31 de Out de 2008, 16:25

O presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, considerou no Lisbon Energy Forum que Portugal tem um "mix" energético pouco saudável por não poder contar com a energia nuclear.
"O mix energético português tem características que não são inteiramente saudáveis: não tem energia nuclear e assenta numa forte dependência do petróleo", afirmou Jaime Gama na sessão de encerramento da 2ª conferência Lisbon Energy Forum .

    O presidente da Assembleia da República disse ainda que em Portugal "os preços dos combustíveis são muito elevados para as famílias e as empresas" e que "há muito a fazer na eficiência energética".

    Jaime Gama afirmou que a dependência de Portugal face ao petróleo é de 55 por cento, acima dos 35 por cento da média da União Europeia, e que "só agora estamos a avançar na hídrica e nas renováveis".

    O responsável referiu que 2008 será um ano "extraordinariamente importante para testar o mercado petrolífero", podendo vir a ser o primeiro ano a registar uma quebra do consumo mundial desde 1993.

    O ministro da Economia, Manuel Pinho, teve na sessão de abertura uma perspectiva mais positiva da situação energética portuguesa, tendo destacado o salto que o país deu em três anos em termos de potência eólica instalada - de 500 para 2.500 megawatts (MW) - e o programa para a construção de 10 novas barragens que vão permitir aproveitar 70 por cento do potencial hidrico nacional.

    O ministro afirmou que Portugal tem condições para se afirmar como líder na criação de um novo modelo energético, baseado nas energias renováveis e com baixa intensidade de carbono.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.