Incineradora volta à estaca zero e AMISM abre-se a novas soluções

Incineradora volta à estaca zero e AMISM abre-se a novas soluções

 

Paulo Faustino   Regional   25 de Out de 2019, 09:01

Tribunal Administrativo de Ponta Delgada anulou a adjudicação da incineradora de resíduos feita pela MUSAMI ao consórcio Steinmuller Babcok Environment/CME. Falando pelos autarcas, o líder da AMISM diz que se impõe 'repensar tudo'

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Ponta Delgada (TAFPD) anulou a adjudicação da incineradora de resíduos feita pela MUSAMIao consórcio luso-germânico Steinmuller Babcock Environment/CME e já ontem, depois de conhecida a sentença, o presidente da Associação de Municípios de São Miguel (AMISM) garantiu haver consenso entre os autarcas da ilha para que, futuramente, sejam avaliadas todas as opções nesta matéria.

O tribunal decidiu manter a exclusão da Termomeccanica (TME) - que, recorde-se, apresentou uma providência cautelar para tentar travar aquela adjudicação ao consórcio luso-germânico alegando que os procedimentos do concurso eram ilegais -, mas também excluir a proposta da Steinmuller Babcock Environment/CME, deliberando no sentido do processo voltar à estaca zero.


Ler mais na edição desta sexta-feira, 25 outubro 2019, do jornal Açoriano Oriental



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.