Açoriano Oriental
Ilha do Corvo prepara passagem de ano com Marcelo, um "convidado especialíssimo"

A mais pequena ilha dos Açores, o Corvo, prepara-se por estes dias para receber "um convidado especialíssimo" na passagem de ano, o Presidente da República, que brindará com "o primeiro espumante" feito pela Adega Cooperativa do Pico.

article.title

Foto: Marco Pimentel/AO
Autor: Lusa/AO Online

“Todos se estão a preparar o mais possível para que seja um dia que corra bem, quer para os corvinos quer para o senhor Presidente da República e a comitiva que o acompanha”, disse o presidente da Câmara Municipal do Corvo, José Manuel Silva, em declarações à agência Lusa.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 01 de janeiro na ilha do Corvo, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano Novo.

Para os cerca de 450 habitantes daquela ilha do grupo ocidental do arquipélago açoriano a notícia foi recebida com “grande espanto”, mas “obviamente depois de interiorizarem a admiração”, os corvinos dizem ser um “orgulho” ter o Presidente da República na noite de passagem de ano, conta o autarca.

Habituados a festejarem a noite da passagem de ano reunidos em família ou em grupos nalgumas casas particulares, os corvinos já tinham planeado um jantar convívio aberto à comunidade no ginásio da escola secundária local, um espaço com capacidade para 250 pessoas e que este ano irá receber um convidado "especialíssimo".

“O jantar é grátis e terá eventualmente um prato típico do Corvo. O jantar vai acabar por ter um convidado especialíssimo e obviamente terá mais pessoas do que aquelas que estava previsto, muitas pessoas vão querer conviver com o Presidente da República”, sublinhou o presidente da autarquia.

José Manuel Silva disse que para o jantar com Marcelo Rebelo de Sousa "não foi preparado nada de diferente", até porque o Presidente da República "faz questão de dizer que quer exatamente vivenciar este dia e esta passagem de ano à maneira corvina".

"O Presidente da República quer genuinamente aquilo que os corvinos têm para dar na sua forma natural", frisou o autarca do PS.

Também não haverá na ilha o fogo-de-artifício à meia-noite que tradicionalmente sucede em muitas cidades.

"Só temos fogo-de-artifício no 15 de agosto na festa da padroeira", explicou José Manuel Silva.

Embora sem fogo-de-artificio, Marcelo Rebelo de Sousa terá, no entanto, direito a provar "o primeiro espumante feito pela Adega Cooperativa do Pico".

"A Adega Cooperativa do Pico disponibilizou-se e faz gosto que a passagem de ano seja bridada com o primeiro espumante feito pela adega e propuseram-se a oferecer o espumante, já que vinha cá o Presidente da República", adiantou o autarca, acrescentando que "ainda não está decidido se haverá música ao vivo".

Garantido, está no entanto, "a lotação esgotada do alojamento local e tradicional" para os dias da presença do Presidente da República na ilha do Corvo, segundo referiu ainda o autarca.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.