Negócios

Grandes retalhistas reforçam número de colaboradores no Natal

Grandes retalhistas reforçam número de colaboradores no Natal

 

Lusa/AO online   Economia   26 de Nov de 2011, 13:22

A maioria das grandes empresas de retalho vai reforçar o número de colaboradores durante o período de Natal, mas das grandes retalhistas contactadas pela Lusa apenas a Toys 'R' Us avançou que vai contratar 400 trabalhadores.

Apesar da crise, as grandes cadeias de lojas pretendem reforçar o número de colaboradores na quadra natalícia, já que é um período "de ouro" para comércio, embora este ano não tenham intenções de o fazer na mesma proporção que no ano passado. Entre as empresas contactadas, apenas a cadeia de lojas de brinquedos Toys 'R' Us avançou com um número. O diretor de 'marketing' da Toys 'R' Us para o mercado ibérico, Ricardo Quiroga, disse à agência Lusa que em Portugal vão ser contratados 400 trabalhadores para reforçar o atendimento nas lojas. No ano passado, a cadeia norte-americana tinha contratado cerca de 500 funcionários para o mesmo período no mercado português. Já em Espanha, segundo a agência EFE, a Toys 'R' Us irá contratar mais de 2.300 pessoas para trabalhar nas lojas durante a campanha do Natal e do dia dos Reis. Questionado sobre o impacto da crise no volume de negócios da empresa em Portugal, o diretor de 'marketing' manifestou-se otimista, apesar de "logicamente" as vendas terem caído. Atualmente, o Natal representa 51 por cento das vendas anuais da Toys 'R' Us, segundo a empresa. Também a Jerónimo Martins, que tem a cadeia de supermercados Pingo Doce, vai reforçar o número de colaboradores, mas não adiantou o número. "Por razões que se prendem com as especificidades da quadra vamos reforçar as equipas das cozinhas e da fábrica de massas frescas", adiantou fonte oficial da Jerónimo Martins, acrescentando que nas lojas, dada a situação económica atual, a empresa "vai dar a oportunidade aos colaboradores que estejam em situação de maior necessidade e que o desejem de alargar o seu horário de trabalho e assim receber o pagamento de horas extra". Também a Sonae admitiu o reforço, mas escusou-se a avançar números. "As áreas de retalho da Sonae têm vindo a reforçar as suas equipas e estão muito atentas à evolução diária do consumo, realizando uma gestão dinâmica de forma a garantir o melhor preço e o melhor serviço que as caracterizam", disse à Lusa fonte oficial da Sonae. Fonte oficial da cadeia de lojas Media Markt, que vende eletrodomésticos e eletrónica de consumo, adiantou à Lusa que também vão reforçar as lojas, mas que como cada unidade "tem gestão de equipa independente" e as necessidades são específicas, não é possível "concretizar um número para o reforço de colaboradores" este Natal. No entanto, disse a mesma fonte, nos últimos anos o aumento rondou os 5 por cento.  Atualmente, a Media Markt tem 732 colaboradores em Portugal e 5.367 em Espanha.  A agência Lusa contactou também a IKEA, que disse não fazer reforços no Natal, uma vez que já têm equipas preparadas desde o verão. "Na IKEA não trabalhamos com reforços sazonais do modo comum no mercado de trabalho em Portugal, já que a nossa ambição é dar sempre aos colaboradores as melhores condições para trabalhar. O retalho especializado, como é o da venda de artigos de decoração e mobiliário, requer formação extensa e preparação técnica, logo as pessoas que admitimos, quando demonstram as melhores habilitações para a função, ficam na IKEA por mais tempo, caso pretendam", disse fonte oficial da cadeia de lojas de origem sueca.  Em Portugal, a empresa admite trabalhadores "todo o ano, já que o ciclo de negócio da IKEA tem um grande pico de venda nos meses de verão. Atualmente, a IKEA conta com 1.400 colaborares em Portugal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.