Governo e sindicatos em negociação suplementar para discutir salários

Governo e sindicatos em negociação suplementar para discutir salários

 

Lusa/AO Online   Nacional   4 de Dez de 2008, 16:22

O Governo e os sindicatos da Função Pública voltam a sentar-se à mesa das negociações a 22 de Dezembro para discutir em negociação suplementar os aumentos salariais em 2009, disse hoje à agência Lusa fonte sindical.
 A negociação suplementar, prevista na lei, foi solicitada pelas três estruturas sindicais que negoceiam com o Ministério das Finanças - Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, Frente Sindical da Administração Pública e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado.

    Apesar de o Governo ter dado por encerrado o processo negocial a 25 de Novembro, mantendo a sua proposta inicial de aumentos de 2,9 por cento, os sindicatos pediram a negociação suplementar numa última tentativa para que o executivo altere a sua proposta.

    A Frente Comum (CGTP) reivindica um aumento de cinco por cento para 2009 e um aumento intercalar de 0,9 por cento para colmatar o poder de compra perdido em 2008.

    A Frente Sindical da Administração Pública (FESAP) apresentou inicialmente ao Governo uma proposta de aumentos de 3,5 por cento mais a recuperação dos 0,9 por cento perdidos ao longo de 2008 mas na penúltima ronda negocial deixou cair a reivindicação dos 0,9 por cento.

    O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), que inicialmente reivindicava aumentos de quatro por cento, também baixou a sua proposta sucessivamente para 3,5 e 3,4 por cento.

    Os funcionários públicos tiveram este ano um aumento salarial de 2,1 por cento, o valor que o Governo previa para a taxa de inflação, mas na proposta de Orçamento do Estado para 2009 o Executivo estima agora chegar ao final do ano com uma taxa de 2,9 por cento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.