Governo diz que são "falsas" acusações de derrapagens em obras públicas feitas pelo PSD

Governo diz que são "falsas" acusações de derrapagens em obras públicas feitas pelo PSD

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Nov de 2011, 11:51

O Governo dos Açores considerou hoje “falsas” as acusações de derrapagens em obras públicas feitas pelo PSD, que apontou desvios de 200 milhões de euros em três obras, acusando os sociais-democratas de “mentir sistematicamente com números que são falsos”.

O Governo Regional “reafirma que são falsas e desprovidas de sentido as afirmações feitas pelo líder parlamentar do PSD/Açores sobre derrapagens em obras públicas”, afirmou o secretário regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, numa declaração em Ponta Delgada.

Na terça-feira, o líder parlamentar do PSD/Açores, Duarte Freitas, defendeu a necessidade de um “esforço redobrado no rigor dos gastos públicos”, frisando que as derrapagens de 162 milhões de euros na SCUT de S. Miguel, de 23 milhões nas Portas do Mar e de 10 milhões na Via Vitorino Nemésio “equivalem a 40 por cento do plano para 2012”.

Relativamente à SCUT de S. Miguel, José Contente assegurou que “não há derrapagem, mas uma atualização de preços”, salientando que o aumento de 325 para 487 milhões de euros resulta dos termos previstos no diploma que lançou o concurso público.

“As taxas de atualização previstas explicam isto”, frisou, acrescentando que “o PSD, com ciúmes da maior obra pública nos Açores, vem denegrir e mentir sobre as contas desta parceria público-privada”.

No mesmo sentido, também desmentiu a existência de qualquer derrapagem na Via Vitorino Nemésio, na Terceira, salientando que a obra “foi adjudicada por 17,2 milhões de euros e teve um preço final de 14,7 milhões de euros”, o que representa “menos 20,6 por cento do preço de adjudicação” da empreitada.

“O PSD quis confundir os açorianos”, afirmou José Contente, assegurando que o Governo dos Açores “tem gerido as finanças públicas com grande rigor”.

No que se refere à construção das Portas do Mar, em Ponta Delgada, que o PSD/Açores afirma ter registado uma derrapagem superior a 20 milhões de euros, José Contente recordou os esclarecimentos que já foram dados pelo secretário regional da Economia, Vasco Cordeiro, que justificou o aumento do custo com a realização de obras que não estavam inicialmente previstas.

Nesse sentido, numa audição parlamentar realizada recentemente, Vasco Cordeiro defendeu que não se registou qualquer derrapagem porque o custo final não se refere apenas às obras inicialmente previstas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.