Crédito habitação

Deco destaca "espírito da Lei" para contradizer APB


 

Lusa / AO online   Economia   16 de Out de 2009, 15:49

A Deco discorda da visão do presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), quando António de Sousa diz que as novas regras do crédito à habitação podem vir a ser prejudiciais para os consumidores.

Em declarações à Lusa, o economista da Deco, João Fernandes - que já tinha considerado as alterações nos empréstimos para a casa de "interessantes e positivas" para o consumidor - disse hoje que a necessidade de clarificar o pacote de serviços e produtos financeiros a constar na nova Taxa Anual Efectiva Revista (TAER), como diz António de Sousa, "é uma falsa questão".

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB) disse hoje em declarações à TSF que há coisas que são preciso esclarecer na nova Lei. Por exemplo, no caso da TAER, que o legislador tem que clarificar quais é que são os produtos e serviços que os bancos têm que ter em conta na TAER. António de Sousa acrescentou ainda que as novas regras vão mexer no poder negocial que existia até agora, prejudicando os consumidores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.