Cruz Vermelha suspende posto de Saúde em Ponta Delgada por falta de condições

Cruz Vermelha suspende posto de Saúde em Ponta Delgada por falta de condições

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Out de 2013, 17:25

A direção da delegação da Cruz Vermelha em Ponta Delgada, nos Açores, decidiu suspender a atividade do posto de saúde por "falta de condições", uma valência que conta retomar "até ao final do ano" dada a "grande procura".

“O que fizemos foi suspender em acordo com a delegação de saúde de Ponta Delgada, face a uma série de problemas que tinha o nosso posto de saúde”, afirmou à Lusa o responsável pela Comissão Administrativa da delegação da Cruz Vermelha em Ponta Delgada, João Subtil, acrescentando que “à falta de segurança, juntava-se falta de higiene e não conformidade com a legislação atualmente em vigor”.

O serviço de enfermagem, que funcionava na sede da delegação, localizada no centro de Ponta Delgada, está suspenso há quinze dias, sendo os “inúmeros utentes que ainda continuam a bater à porta” encaminhados para o centro de saúde da cidade.

João Subtil revelou que só nos últimos seis meses foram atendidas 1.387 pessoas, que pagaram apenas um custo social pelos tratamentos de enfermagem recebidos no posto.

O responsável acrescentou que o Governo Regional “disponibilizou rapidamente” um local para instalar este serviço num espaço que detém na Avenida D. João III, mas que “vai necessitar de obras de adaptação”.

“A Cruz Vermelha nunca tem dinheiro, senão para dar. Para investir aqui nós contamos recorrer, pedir a quem nos tem dado já provas de aceder, por exemplo, a câmara municipal. Não será em dinheiro, mas em material necessário para lançar paredes, tetos, etc.”, afirmou João Subtil, revelando que ainda não tem uma estimativa de custos.

O responsável por esta organização não governamental, que em 2013 celebra 95 anos de implantação no concelho, acredita que o novo posto de saúde possa estar a funcionar “até ao final do ano” e não se mostra preocupado com os efeitos da deslocalização.

“Não é muito longe. A Avenida D. João III está no antigo limite da cidade. As pessoas agora moram ali à volta. Daí que aposto que as pessoas vão. Por outro lado, há transportes”, disse João Subtil.

Apesar de degradado, o imóvel alugado no centro de Ponta Delgada vai continuar a alojar a sede da delegação da Cruz Vermelha e as restantes valências, como a entrega de roupa e medicamentos.

A delegação da Cruz Vermelha em Ponta Delgada conta, presentemente, com cerca de 230 sócios.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.