Turismo

Chineses gastam mais na Europa que no resto do mundo


 

Lusa/AO   Economia   5 de Nov de 2007, 05:22

Os turistas chineses das cidades mais ricas da China gastam mais dinheiro nos países europeus do que nos outros locais do mundo, segundo um estudo divulgado hoje pela consultora internacional AC Nielsen.

De acordo com o estudo da consultora sobre "Viagens de Turistas Chineses Fora do País-2007", foram os turistas chineses que escolheram a Europa para passar férias que gastaram mais dinheiro, com uma média de 5.253 dólares (3.625 euros) por pessoa.

    "Descobrimos que, enquanto a maioria dos turistas chineses ainda se concentra em viagens de baixo custo, o número de viajantes que se permite fazer viagens luxuosas cresceu de forma notável," considerou Grace Pan, do departamento de Viagens e Lazer da AC Nielsen.

    O estudo destaca os turistas oriundos de Pequim, a capital chinesa, de Xangai, o centro económico e financeiro do país, e de Cantão, capital da província meridional de Guangzhou, fronteira a Macau, como aqueles que mais gastaram no velho continente.

    Segundo a mesma pesquisa, Macau e Hong Kong levam os turistas chineses a abrir mais os cordões à bolsa: enquanto um turista chinês gasta em média 1.904 dólares (1.313 euros) na Ásia, em Macau e Hong Kong este valor sobe para os 2.185 dólares (1.507 euros), reflectindo os carácter das duas cidades, respectivamente centro de lazer e de compras.

    Em média, conclui o relatório da AC Neilsen, os turistas da China gastam 3.000 dólares (2.070 euros) por viagem, incluindo despesas pagas antes da partida, tais como pacotes turísticos, bilhetes de avião e hotéis.

    "A Ásia continua a ser o destino mais popular dos turistas chineses graças à proximidade geográfica. No entanto, o número de viagens à Europa e ao continente americano está a crescer com muita rapidez ", disse também Pan.

    O estudo mostra também que mais de um terço dos turistas chineses das três cidades escolheu hotéis de quatro estrelas, enquanto outros 10 por cento preferem hotéis de cinco estrelas.

    "Os consumidores chineses estão cada vez mais sofisticados e a indústria do turismo necessita de se dar conta destas alterações e destas novas dinâmicas em termos de atitudes e percepções sobre cada destino", salientou Pan na apresentação do relatório.

    Segundo dados recentes, cerca de 30 milhões de chineses viajaram para fora do país nos primeiros nove meses deste ano, um aumento de 17 por cento em comparação com o mesmo período do ano passado.

    A China mantém-se assim como o maior mercado asiático emissor de turistas, tendo 34,52 milhões de chineses saído da China em turismo em 2006, mais 11,27 por cento do que em 2005.

    O Organização Mundial Turismo prevê que em 2020 a China seja o maior mercado mundial emissor de turistas, com cerca de 100 milhões de pessoas por ano a viajar para o estrangeiro.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.