Açoriano Oriental
CDU diz que resultado é "cartão vermelho" para PS
A CDU considerou este domingo que as primeiras projecções, que apontam para uma vitória do PSD nas eleições europeias, são “um cartão vermelho” para as “políticas de direita” do governo socialista.

Autor: Lusa / AO Online

As projecções hoje avançadas pelas televisões, que colocam a votação na lista encabeçada por Ilda Figueiredo entre nove por cento (RTP) e 12,7 por cento (TVI), são, para Albano Nunes, do comité central do PCP, motivo de “satisfação”.

“Tudo indica que atingimos os objectivos que nos propusemos alcançar com estas eleições: aumentar a votação e a percentagem”, disse o dirigente comunista.

A CDU obteve, nas eleições europeias de 2004, 9,1 por cento, elegendo dois eurodeputados.

Sobre a provável vitória do PSD nas eleições, deixando os socialistas em segundo lugar, Albano Nunes considerou que este resultado revela que “o PS não tem apoio para as políticas que tem vindo a realizar” e que “penaliza as políticas de direita que tem vindo a realizar nos últimos quatro anos”.

“Este é um cartão vermelho para a política do Partido Socialista. O PS não atingiu os seus objectivos”, disse ainda o membro do comité central, que destacou que esta votação é “um incentivo à luta pela viragem necessária que implica uma ruptura com as políticas dominantes”.

Questionado sobre a possibilidade de o Bloco de Esquerda ultrapassar a CDU, tornando-se a terceira força política, Albano Nunes afirmou que isso não será interpretado como uma derrota para a lista comunista.

“O nosso adversário é o PS, são as políticas de direita. Para nós esse não é um problema”, acrescentou.

As projecções foram recebidas em completo silêncio pelos militantes que acompanham a noite eleitoral na sede do PCP, na rua Soeiro Pereira Gomes, em Lisboa.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.