Câmara do Comércio da Horta insatisfeita com a operação da Azores Air Lines

Câmara do Comércio da Horta insatisfeita com a operação da Azores Air Lines

 

Lusa/AO online   Regional   20 de Dez de 2017, 17:39

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH), Davide Marcos, manifestou hoje a sua insatisfação com a operação da Azores Air Lines para o Faial e o Pico, ilhas que registam, sublinha, quebras de passageiros desembarcados.

“Para a Câmara do Comércio e Indústria da Horta, a redução das acessibilidades, através do transporte aéreo, está a prejudicar o desenvolvimento da ilha do Faial, em primeiro lugar, mas também as outras ilhas que estão sob as nossas competências”, lamentou o empresário, em conferência de imprensa, na Horta, ilha do Faial, Açores.

Para Davide Marcos, os últimos dados estatísticos sobre o turismo nos Açores, relativos a outubro e novembro, são o resultado dos “constrangimentos impostos pela Sata”, sobretudo no Aeroporto da Horta, que registou uma quebra de passageiros desembarcados de 2,6% em novembro.

“As nossas preocupações são confirmadas por estes números e podemos antecipar uma evolução mais negativa quando já não é possível chegar ao Faial com conforto em voos diretos do exterior, operados pela Azores Air Lines, e por vezes em voos inter-ilhas, operados pela Sata Air Açores”, adianta o presidente da CCIH.

No seu entender, é necessário que a Sata repense a sua operação para esta zona do arquipélago, já no início do novo ano, já que há ilhas, como São Miguel e Terceira, que estão a crescer a um ritmo “completamente diferente” do de outras ilhas, como são o caso do Faial e do Pico.

“Os modelos de acessibilidades têm de constituir-se como um fator de desenvolvimento de todas as ilhas e nunca poderão ser transformados em fatores de subdesenvolvimento de algumas ilhas, em benefício de outras”, alertou Davide Marcos.

O presidente da CCIH deu também conta de que há empresários do Faial que se queixam de encomendas em atraso que não chegam à ilha, por incapacidade de carga na transportadora aérea regional, e pescado retido no porto da Horta, que a Azores Air Lines alegadamente não consegue escoar.

A agência Lusa contactou a Sata para obter um comentário às posições da CCIH, mas tal não foi possível de obter até meio da tarde de hoje.

A Sata Air Açores assegura as ligações aéreas entre as nove ilhas dos Açores e a Azores Airlines faz voos de e para fora do arquipélago.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.