Açoriano Oriental
Caça ao coelho-bravo reabre domingo na ilha açoriana de São Miguel

A caça ao coelho-bravo "reabre domingo em algumas zonas da ilha de São Miguel, onde existem elevados níveis de abundância desta espécie e nas quais não há efeitos detetados da Doença Hemorrágica Viral (DHV)", foi anunciado.

Caça ao coelho-bravo reabre domingo na ilha açoriana de São Miguel

Autor: Lusa/AO online

A decisão da secretaria regional da Agricultura e Florestas, através da Direção Regional dos Recursos Florestais, teve em conta uma avaliação numa reunião do Conselho Cinegético de São Miguel, "tendo sido unânime que o esforço de caça devia ser aumentado e começar de imediato".

De acordo com uma nota do Governo dos Açores, "o esforço de caça acrescido justifica-se pelas elevadas densidades de coelho-bravo verificadas na zona central da ilha" de São Miguel, "através de censos realizados e constante monitorização por parte dos Serviços Florestais, e pela necessidade de exercer uma pressão de caça sobre a espécie" para que "sejam minimizados os prejuízos nas culturas agrícolas, já em produção e a instalar no próximo mês".

A secretaria regional da Agricultura informa que "as zonas onde será possível caçar compreendem sensivelmente a área central da ilha de São Miguel", estando acessível o mapa disponibilizado através do Portal das Florestas do Açores, em https://drrf-sraa.azores.gov.pt.

"As zonas onde passará a ser possível caçar abrangem as áreas onde foram solicitadas e autorizadas correções de densidade, deixando, contudo, uma margem de segurança para as áreas onde têm sido identificados coelhos mortos, entretanto confirmados com DHV", sublinha a nota.

A caça é autorizada inicialmente apenas pelo processo de corricão e passa a considerar, além do já habitual domingo, também as quintas-feiras, até ao final do mês de outubro.

Na caça pelo processo de corricão, o caçador, com o auxílio de cães de caça, captura ou abate determinada espécie cinegética, com ou sem pau. Só é permitido para o coelho-bravo.

A nota divulgada pelo Governo Regional diz ainda que a caça pelos restantes processos tem início em 20 de setembro e estende-se até ao final de dezembro.

O Governo dos Açores interditou no início de agosto a caça em toda a ilha de São Miguel devido ao surgimento de "um novo foco do surto de doença no coelho bravo, situação cuja evolução tem vindo a ser devidamente acompanhada e monitorizada".

"Apesar da interdição da caça em toda a ilha de S. Miguel, continuou e continuará a ser possível recorrer a correções de densidade sempre que a abundância das espécies cinegéticas cause prejuízo nas culturas agrícolas", sublinha a secretaria regional da Agricultura e Florestas.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.