Brexit

Bruxelas quer ser informada rapidamente dos próximos passos do Governo britânico

Bruxelas quer ser informada rapidamente dos próximos passos do Governo britânico

 

AO Online/ Lusa   Internacional   19 de Out de 2019, 20:26

A Comissão Europeia instou este sábado o Governo do Reino Unido a informá-la, com a maior brevidade, sobre quais serão os seus próximos passos, após o parlamento britânico ter votado favoravelmente uma proposta para um novo adiamento do 'Brexit’.

“A Comissão Europeia toma nota da votação na Câmara dos Comuns da chamada emenda Letwin, que implica que o acordo da saída em si não seja colocado a votação hoje. Cabe ao Governo do Reino Unido informar-nos dos próximos passos tão rápido quanto possível”, pode ler-se numa publicação partilhada pela porta-voz do executivo comunitário, Mina Andreeva, na sua conta na rede social Twitter.

A Câmara dos Comuns votou hoje a favor de uma proposta que força o primeiro-ministro britânico a pedir um adiamento do 'Brexit' até ser aprovada no parlamento britânico a legislação que regulamente o acordo de saída, uma opção já rejeitada por Boris Johnson.

"Não vou negociar um adiamento, nem a lei me obriga a fazê-lo", reagiu Boris Johnson, acrescentando que "mais um adiamento seria mau para este país ou para União Europeia e mau para a democracia".

O primeiro-ministro referia-se à "lei Benn", que o ‘obriga’ a escrever uma carta até às 23:00 de hoje, a solicitar uma extensão do processo de saída da UE por três meses, até 31 de janeiro, se a Câmara dos Comuns não aprovar um acordo ou autorizar uma saída sem acordo até 19 de outubro.

Johnson reagia assim à aprovação, por 322 votos a favor e 306 votos contra, de uma proposta do antigo deputado conservador, agora independente, Oliver Letwin, para suspender os efeitos do acordo até ser aprovada no parlamento britânico a legislação que implementa o acordo de saída.

No seguimento da aprovação da emenda Letwin, o Governo britânico decidiu retirar a proposta para ser votado o novo acordo para o 'Brexit' negociado pelo primeiro-ministro e endossado pelos chefes de Estado e de Governo dos 27 na quinta-feira, mas pretende apresentar na próxima semana a proposta de lei para regulamentar o acordo para conseguir sair da UE até 31 de outubro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.