Bloco de Braquiterapia do IPO de Lisboa fechado após queixas respiratórias de profissionais


 

Lusa/Ao online   Nacional   27 de Jul de 2019, 21:24

O Bloco de Braquiterapia do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa foi encerrado temporariamente na sequência de três profissionais de saúde terem manifestado queixas respiratórias, mas a atividade será retomada durante a próxima semana, anunciou este sábado instituto.

O IPO Lisboa adianta, num comunicado enviado à agência Lusa, que na passada terça-feira duas enfermeiras e uma assistente operacional, três profissionais de saúde, manifestaram queixas respiratórias quando preparavam o Bloco de Braquiterapia para o início da atividade, tendo sido assistidos pela anestesista de serviço no local.

“As três profissionais foram depois assistidas no Hospital de Santa Maria, de onde tiveram alta no próprio dia”, refere o instituto, adiantando que esta situação ocorreu “após uma intervenção de manutenção técnica no sistema de tratamento de ar do Bloco de Braquiterapia, que teve lugar na sexta-feira, dia 19 de julho”.

Para proteção dos profissionais e dos doentes, no dia da ocorrência, o Conselho de Administração do IPO Lisboa determinou o encerramento da Bloco de Braquiterapia, que faz parte do serviço de radioterapia.

No mesmo dia foram também solicitadas análises químicas, físicas e microbiológicas para avaliação da qualidade do ar, a entidade externa, com certificação internacional.

“Os resultados já disponíveis não identificaram quaisquer vestígios de agentes químicos ou físicos, aguardando-se ainda receção dos resultados microbiológicos”, que “se esperam negativos face à contagem de partículas, sublinha.

O IPO Lisboa assegura que estão garantidas as condições de segurança para os profissionais de saúde e para os doentes e que vai retomar atividade clínica do Bloco de Braquiterapia durante a próxima semana.

“Com vista ao esclarecimento dos doentes, dos profissionais e da população”, o IPO afirma que o Serviço de Radioterapia funciona em “instalações seguras, cumpre os mais exigentes requisitos de proteção radiológica e ambiental e monitoriza a qualidade do ar dos diferentes espaços de trabalho, garantindo a segurança dos doentes e as boas práticas de prevenção do risco profissional e de vigilância da saúde dos colaboradores”.

Adianta ainda que está equipado com sete aceleradores lineares para tratamentos de radioterapia externa e um Bloco de Braquiterapia. Por ano, efetua mais 85 mil tratamentos.

A braquiterapia é uma modalidade de tratamento com radiações, que consiste na colocação das radiações dentro ou próximo do tumor. Pode ser usado no tratamento de vários tumores, mas é muito frequente aplicada nos cancros da próstata e ginecológicos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.