Ativistas da Greenpeace escalaram plataforma de petróleo no Ártico russo


 

Lusa/AO online   Internacional   18 de Set de 2013, 10:27

Dois ativistas da Greenpeace escalaram uma plataforma petrolífera detida pelo gigante estatal russo Gazprom no Ártico russo, numa ação que visava a paragem da exploração de petróleo numa zona sensível, revelou o grupo ambientalista.

Os ativistas partiram antes do amanhecer em barcos insufláveis lançados do navio Arctic Sunrise, navio-mãe, e dirigiram-se à plataforma Prirazlomnaya da Gazprom localizada no mar Pachora.

A guarda costeira da Rússia conseguiu deter dois dos ativistas, mas outros dois conseguiram prender-se à plataforma com cordas apesar de serem atacados com água gelada lançada a partir da plataforma.

A Greenpeace diz que a Gazprom pretende começar a produção na plataforma Prirazlomnaya em 2014, aumentando o risco de derrame de petróleo numa zona com três reservas naturais onde habitam ursos polares, morsas e aves raras.

“Esta antiga plataforma de petróleo é o desastre à espera de acontecer no Ártico”, disse o ativista Sini Saarela em comunicado.

Ambientalistas russos e estrangeiros acusam também, regularmente, as grandes empresas russas de energia, de fechar os olhos às preocupações ambientais quando procuram encontrar fontes de energia em locais cada vez mais distantes, acusações que as companhias negam ao garantirem cumprirem os requisitos nos trabalhos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.