Açoriano Oriental
Ativista Greta Thunberg saúda declaração de emergência climática na Europa

A jovem ambientalista sueca Greta Thunberg congratulou-se no Instagram por o Parlamento Europeu declarar o estado de emergência climática, pedindo medidas drásticas na defesa do ambiente, e apelou para a participação na greve pelo clima na sexta-feira.

article.title

Foto: EPA/JUSTIN LANE
Autor: Lusa/AO online

"No meio do oceano, fico impressionada com a notícia de que o Parlamento Europeu declarou a emergência climática. Não podemos resolver uma crise sem tratá-la como uma crise. Vamos torcer para que eles tomem agora medidas drásticas o suficiente [para proteger o ambiente]. Participe na manifestação [Greve Climática] de amanhã para colocá-los sob pressão!", escreveu Greta Thunberg, que iniciou em meados de novembro uma viagem de catamarã para Portugal, passando ao largo dos Açores.

A 13 de novembro, a jovem ambientalista saiu do porto de Salt Ponds, no estado norte-americano de Virgínia. Greta Thunberg decidiu viajar num veleiro como forma de alerta para a poluição causada pelos aviões.

Em Portugal, a jovem está convidada para uma sessão na Assembleia da República promovida pela comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território. Depois seguirá para Madrid, onde participará na Cimeira do Clima (COP25).

O comentário da ambientalista, de 16 anos, no Instagram, surgiu depois de o Parlamento Europeu ter declarado hoje o estado de emergência climática e ambiental, defendendo que a União Europeia se comprometa a reduzir emissões de gases com efeito de estufa em 55% até 2030, para atingir a neutralidade climática até 2050.

Esta posição da assembleia foi adotada hoje, em Estrasburgo, com a aprovação de uma resolução, em vésperas da Conferência da ONU sobre o Clima, marcada para Madrid, entre 2 e 13 de dezembro.

O texto, aprovado com 429 votos a favor, 225 contra e 19 abstenções, considera que “é fundamental tomar medidas imediatas e ambiciosas para limitar o aquecimento global a 1,5°C e evitar uma perda maciça de biodiversidade”.

A Greve Climática Global realiza-se na sexta-feira em 157 países, incluindo Portugal, e, na sua quarta edição, tem como principal objetivo mobilizar os jovens a participar na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25).

São esperados mais de cem mil manifestantes na greve climática, segundo estimativas do ‘site’ oficial do movimento “FridaysForFuture”, e os protestos vão servir para convencer o máximo de pessoas a ir à COP25, que se inicia em Madrid na segunda-feira.

Em Portugal, estão previstas greves em Lisboa, Porto, Coimbra, Santarém, Portalegre, Évora e Vila Nova de Santo André (Santiago do Cacém), abaixo da participação em edições anteriores, o que é justificado pela organização com o aviso tardio para o protesto.

Em Lisboa, está programada uma manifestação, que começa de manhã de sexta-feira no largo Camões e termina na Assembleia da República.

A COP25, que se irá realizar entre 2 e 13 de dezembro, vai contar com a presença de Greta Thunberg, a jovem que em 2018 começou a faltar às aulas para protestar, junto ao parlamento sueco, contra a inação dos políticos em questões ambientais.

Desde agosto de 2018, já participaram na greve climática jovens de 6,6 mil cidades de 223 países, segundo o ‘site’ oficial do movimento.

No total, já se realizaram 63 mil greves climáticas.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.