Actriz Sónia Brazão acusada do crime de incêndio e explosão


 

Lusa/AO online   Nacional   20 de Dez de 2011, 15:52

A actriz Sónia Brazão foi acusada pelo Ministério Público (MP) do crime de libertação de gases asfixiantes e de explosão, informou a Procuradoria-geral Distrital de Lisboa.
O despacho foi proferido na segunda-feira pelo Ministério Público e resultou na acusação da actriz por este crime, cuja moldura penal pode atingir os oito anos de prisão quando praticado com negligência.

Em Setembro passado, a Polícia Judiciária terminou a investigação sobre o caso da explosão que em Junho destruiu o apartamento da actriz, em Algés, e concluiu que houve uma libertação de gás intencional, através da abertura dos bicos do fogão.

A Procuradoria-geral Distrital de Lisboa (PGDL) refere que foi feito “o arquivamento relativo a uma situação ocorrida em 27 de Julho de 2005”, que poderia consubstanciar outro crime de libertação de gases asfixiantes.

A PGDL adianta que foi imputada à arguida Sónia Margarida Miranda da Fonseca, conhecida como Sónia Brazão, a prática de um crime de libertação de gases asfixiantes e de explosão, previsto e punido pelo artigo 272 nº 1, alíneas b e c, do Código Penal.

O inquérito sobre a explosão ocorrida a 03 de Julho deste ano na casa da actriz, na Avenida da República, em Algés, foi entregue pela Polícia Judiciária nos serviços do Ministério Público (MP) a 27 de Setembro, data desde a qual o MP “realizou diligências de prova complementares consideradas essenciais à descoberta da verdade, sem devolução dos autos àquele órgão de polícia criminal”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.