Acidente aéreo em Madrid

Zapatero defende comentários ministra sobre acidente avião


 

Lusa/AO online   Internacional   1 de Set de 2008, 11:45

O primeiro-ministro espanhol garantiu que o Executivo não quer “levantar dúvidas sobre a actuação de ninguém” no acidente de aviação de 20 de Agosto, em Madrid, pedindo “calma” até que a investigação esteja concluída.
Em entrevista a uma televisão espanhola, José Luís Rodríguez Zapatero defendeu ainda os comentários feitos na sexta-feira no parlamento pela ministra do Fomento, Magdalena Alvarez, que explicou que a Spanair chegou a pensar substituir o avião acidentado.

    Os comentários da ministra foram criticados hoje pelos trabalhadores da empresa, que pediram numa carta aberta a Zapatero um “gesto público” para os salvar do que consideram ser “o linchamento injusto” a que estão a ser submetidos pela sua alegada acção em torno ao avião acidentado.

    Referindo-se à carta aberta, o chefe do governo disse que os trabalhadores “não se devem sentir nem humilhados, nem difamados pelo governo”, afirmando solidarizar-se com “a dor dos trabalhadores”.

    Ao mesmo tempo, pediu “confiança” e “calma” a todos até que se saiba o que ocorreu, para que depois se possa agir “em consequência”.

    Zapatero recordou que a normativa em matéria de aviação aérea é “muito exigente” e que “se cumpre”, independentemente da situação económica de uma qualquer empresa.

    Explicou haver centenas de pessoas dedicadas à “supervisão e inspecção aleatória tanto em Espanha”, como no estrangeiro.

    Recordando que todos os aviões da Spanair passaram as inspecções pertinentes, disse que isso não impediu que houvesse um acidente que vai ser investigado “até ás últimas consequências”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.