Zapatero afirma que "justiça foi feita"


 

Lusa / AO online   Internacional   31 de Out de 2007, 15:02

O primeiro-ministro espanhol, José Luís Rodriguez Zapatero, considerou quarta-feira-feira que “justiça foi feita” quando comentava a sentença, agora pronunciada, no julgamento dos atentados de 11 de Março de 2004 em Madrid.
Poucos minutos depois da leitura da sentença pela Audiência Nacional, que condenou três dos oito principais acusados a penas máximas, o chefe do governo socialista homenageou a polícia que liderou a investigação e as instituições judiciais por este processo “rápido”.

“Hoje foi feita justiça e (…) devemos olhar para o futuro”, declarou Zapatero.

As vítimas e as famílias destas “poderão hoje sentir-se aliviadas do seu sofrimento ao verem que a verdade foi estabelecida e a responsabilidade dos autores definida”.

“A sentença demonstra o funcionamento exemplar das instituições”, declarou ainda Zapatero em Madrid.

A justiça espanhola condenou hoje a penas de prisão de quase 40 mil anos três dos oito principais acusados dos atentados de 11 de Março de 2004 em Madrid, mas surpreendeu com a completa absolvição de Radei Osman El Sayed “Mohamed O Egípcio”.

“Mohamed O Egípcio” foi apresentado pela acusação com sendo um dos três organizadores dos atentados, dos quais resultaram 191 mortos e 1.841 feridos.

Os três acusados condenados às penas de prisão máximas foram considerados culpados de assassínios e de tentativa de assassínios terroristas e na prática vão ter as penas de prisão limitadas a 40 anos cada um.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.