UAç envia para secretaria de Estado do Ensino Superior plano de recuperação

UAç envia para secretaria de Estado do Ensino Superior plano de recuperação

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Out de 2013, 12:20

O Conselho Geral da Universidade dos Açores revelou esta quinta-feira que a academia açoriana vai submeter o plano de recuperação financeira à secretaria de Estado do Ensino Superior após a sua aprovação, por maioria dos conselheiros.

“O plano de recuperação financeira foi aprovado por maioria e vai agora ser submetido à secretaria de Estado do Ensino Superior para que esta garanta junto do Ministério das Finanças o suporte financeiro que os pressupostos do plano fixam como condição indispensável à sua execução”, refere um comunicado do Conselho Geral da academia açoriana, que esteve reunido na terça-feira.

A Universidade dos Açores está a negociar com o Ministério da Educação um plano de convergência para três anos com vista a garantir a sua sustentabilidade, face aos "graves constrangimentos financeiros” que enfrenta e que tiveram impacto na preparação do ano letivo.

O reitor da Universidade dos Açores reiterou na sequência da reunião do Conselho Geral que ao abrigo do plano de recuperação financeira terá que haver uma redução de 10 por cento da massa salarial e um aumento de propinas, assegurando o Governo da República o défice da academia até 2015, na ordem dos 1,8 milhões de euros, a par da dívida existente de 2 milhões.

De acordo com o comunicado do Conselho Geral da academia açoriana, na sequência de documentação originada dos departamentos de Economia e Gestão e Ciências Agrárias foram detetadas “diversas incorreções” pelo Conselho de Gestão da Universidade dos Açores relativas à distribuição do serviço docente e na fundamentação que lhe foi enviada para suportar alguns dos pedidos para contratação dos docentes externos à instituição.

No Conselho Geral da academia açoriana o seu reitor, Jorge Medeiros, referiu que foram autorizadas “todas as contratações efetivamente necessárias” para o “bom funcionamento” do ano letivo.

Na sequência de um pedido de clarificação da Associação Académica da Universidade dos Açores relativo ao plano de pagamento de propinas, Jorge Medeiros declarou no Conselho Geral que as dificuldades financeiras da academia “exigiram que se concentrasse” a entrada da receita num “período” em que a necessidade de dispor de fundos se ”tornou mais premente”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.