Treinador do Chelsea diz que incidente com guarda-redes foi um "mal-entendido"


 

Lusa/Ao online   Futebol   24 de Fev de 2019, 21:09

O técnico do Chelsea, Maurizio Sarri, negou este domingo qualquer problema com o guarda-redes Kepa, na final da Taça da Liga inglesa de futebol com o Manchester City, explicando que houve apenas um "mal-entendido" na altura da sua substituição.

"Foi um grande mal-entendido. Percebi que [o Kepa] tinha uma lesão, mas dei-me conta, uns minutos depois de que podia jogar. Queria meter o Caballero em campo porque pensava que o Kepa não estava em condições, e o Kepa só me queria dizer que podia jogar. Ele estava certo, mas creio que o expressou da pior maneira. Soube [que estava apto para continuar a partida] quando o médico me disse mais tarde", revelou o treinador italiano.

A situação insólita aconteceu pouco antes do final do prolongamento da partida referente à final da Taça da Liga inglesa, disputada no Estádio de Wembley.

Kepa queixou-se de um problema muscular e Sarri tentou substituí-lo, mas o guarda-redes espanhol recusou-se a sair do relvado, tentado explicar que estava em condições para continuar a jogar.

Sarri garantiu que não tinha intenção de colocar em campo o guarda-redes argentino Willy Caballero em campo para defender os penáltis, pelo que só pretendia realizar a substituição por questões físicas.

De resto, sobre o jogo - o Manchester City venceu o troféu nos penáltis (4-3), depois do nulo no marcador no final dos 90 minutos e do prolongamento -, Sarri considerou que o Chelsea fez um bom jogo e que os seus futebolistas interpretaram na perfeição as indicações que lhes passou antes do encontro.

Isto, duas semanas após a goleada aplicada aos ‘blues’ (6-0), no campeonato, pelos ‘citizens’, que contaram com o internacional português Bernardo Silva a titular, mas não dispuseram das mesmas facilidades da última partida entre as equipas.

No desempate por grandes penalidades, o Manchester City apenas falhou um remate, por Sané, sendo que Bernardo Silva ‘faturou’ a sua oportunidade, enquanto Jorginho (defesa de Ederson) e David Luiz (ao poste) falharam para o Chelsea.

O conjunto de Manchester, que já tinha vencido a competição na época passada, conquistou a sexta Taça da Liga do seu palmarés, tendo agora menos dois do que o recordista de troféus, Liverpool, que soma oito.

Este foi, igualmente, o 25.º troféu da carreira de Pep Guardiola como treinador, o quarto ao serviço do Manchester City.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.