Sócrates reclama vitória no primeiro debate com novas regras


 

Lusa / AO online   Nacional   21 de Set de 2007, 12:57

O primeiro-ministro e o líder parlamentar socialista reclamaram hoje vitória no primeiro debate mensal com as novas regras regimentais, acusando a oposição de "estar ausente" do debate sobre o Plano Tecnológico, tema proposto pelo Governo.
"Compreendo bem que a oposição não pudesse ganhar este debate porque o Governo trouxe aqui resultados", garantiu José Sócrates, na sua última intervenção, que deveria ser de resposta ao PS, mas que serviu para colmatar a falta de tempo na resposta a outros partidos e para fazer um balanço da discussão.

Também o líder parlamentar socialista, Alberto Martins, considerou que este novo modelo de debate, mais curto e com mais ritmo, "permitiu evidenciar que a oposição esteve ausente do debate".

"A oposição perdeu o debate porque praticamente não tocou na questão do Plano Tecnológico. Revelaram ignorância nesta matéria", acusou o líder parlamentar do PS, que é agora o último partido a intervir, e não o segundo - a seguir ao PSD - como acontecia anteriormente.

Em vez de 2:30 de discussão - que habitualmente se arrastavam quase até às quatro horas - o debate mensal durou hoje cerca de 1:45 (o tempo previsto era de 1:26), com o Presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, muito mais rígido na aplicação dos tempos.

Embora sem nunca tirar a palavra a qualquer orador, Jaime Gama repetia sucessivamente "queira concluir" quando o tempo se aproximava do fim.

Em vez das anteriores três 'voltas', existe agora apenas uma e os partidos dividem como entenderem o tempo disponível (entre 9 e 3 minutos, consoante a representatividade parlamentar).

Neste primeiro debate mensal com as regras novas todos os partidos da oposição optaram por dar voz apenas aos líderes: Marques Mendes, Jerónimo de Sousa, Paulo Portas e Francisco Louçã foram os únicos oponentes de José Sócrates, fazendo perguntas consecutivas ao chefe do Governo até esgotarem o seu tempo.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.