Sociais-democratas reunidos para consagrar Menezes com novo líder do partido


 

Lusa/ AO   Nacional   12 de Out de 2007, 06:13

Os sociais-democratas reúnem-se, a partir de hoje e até domingo, em Torres Vedras, no XXX Congresso do partido, que consagrará o novo líder do PSD, Luís Filipe Menezes, eleito nas eleições directas de 28 de Setembro.
A chegada de Luís Filipe Menezes está prevista para pouco depois das 20:00, altura em que a presidente da mesa do congresso, a ex-ministra Manuela Ferreira Leite, abrirá os trabalhos.

    De seguida, o novo líder social-democrata fará a sua primeira intervenção perante os congressistas, depois de duas semanas em que apenas falou publicamente de forma pontual.

    Após a habitual interrupção para o jantar, os trabalhos irão recomeçar com a apresentação da moção de estratégia global do novo líder social-democrata, embora não tenha ainda sido revelado a quem caberá essa tarefa.

    De seguida, começará a discussão das moções de estratégia temáticas.

    Para sábado, são esperadas as grandes novidades, como a constituição da equipa que Luís Filipe Menezes terá a seu lado nos próximos dois anos.

    Vários nomes têm sido avançados como prováveis elementos da comissão política nacional mas, até agora, nenhum foi confirmado por Luís Filipe Menezes.

    Ainda durante o dia de sábado deverão ter lugar duas das intervenções mais aguardadas do congresso: a de Manuela Ferreira Leite, que já prometeu fazer uma "explicitação pormenorizada" dos motivos que a levaram a não apoiar nenhum dos candidatos durante a campanha para as directas, e a do ex-primeiro-ministro Pedro Santana Lopes.

    Este último, que tem sido apontado como um dos possíveis candidatos à liderança da bancada parlamentar social-democrata nas eleições de 18 de Outubro, chegou na quarta-feira à noite a um "acordo de colaboração institucional" com Menezes - mas desconhece-se ainda a forma como se consubstanciará esse acordo e se nele está ou não incluída a questão da liderança da bancada 'laranja' na Assembleia da República.

    Contudo, e apesar de Luís Filipe Menezes já ter feito saber que a questão da liderança parlamentar só será tratada a partir de segunda-feira, dificilmente deixará de ser abordada durante o Congresso, pelo menos nos 'bastidores'.

    Até à meia-noite de sábado, terão também de ser entregues na mesa do Congresso as listas para o Conselho de Jurisdição Nacional e as listas para o Conselho Nacional, órgão máximo do partido entre congressos.

    No último dia do Congresso, que ficará também marcada pela ausência de Marques Mendes, derrotado por Menezes dois anos depois de ter sido ele o vencedor na disputa entre ambos no Congresso de Pombal, a manhã estará reservada para a eleição dos órgãos nacionais do partido.

    Por volta das 13:00, Luís Filipe Menezes voltará ao palco para fazer o último discurso do Congresso que o consagrará como novo líder social-democrata.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.