Açoriano Oriental
Saramago, Gonçalo M. Tavares e Valter Hugo Mãe na rentrée da Porto Editora
Um livro inédito de José Saramago e obras de Mário de Carvalho, Gonçalo M. Tavares e Valter Hugo Mãe estão entre as principais novidades da rentrée editorial da Porto Editora, apresentadas no Museu da Fundação Oriente, em Lisboa.
article.title

Foto: ESTELA SILVA / LUSA
Autor: Lusa/AO Online

 

No encontro com os jornalistas foram apresentados 50 títulos, distribuídos por quatro chancelas: Porto Editora, 5 Sentidos, Sextante Editora e Assírio & Alvim.

Um dos destaques editoriais, que tinha já sido avançado em julho pela Fundação José Saramago, é a publicação, pela Porto Editora, do inédito do Nobel português da Literatura "Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas".

O título é inspirado em versos de Gil Vicente e tem como protagonista o funcionário de uma fábrica de armas que vive um conflito moral decorrente de seu trabalho.

O livro, cujos primeiros capítulos incluem notas que Saramago fez quando o começou a escrever, será lançado em outubro e publicado simultaneamente em português, italiano, espanhol e catalão.

A mesma chancela lançará "Quem disser o contrário é porque tem razão", de Mário de Carvalho, um texto em registo de manual prático da escrita, abordando os dilemas, enigmas e perplexidades do ofício de escritor.

"Uma menina está perdida no seu século à procura do pai" é o novo romance de Gonçalo M. Tavares, lançado igualmente pela Porto Editora, com publicação prevista para os últimos dias de outubro.

Ainda nos autores portugueses, e numa nova coleção de literatura infanto-juvenil, será lançada em novembro, pela Porto Editora, a obra "O Paraíso são os outros", de Valter Hugo Mãe.

Trata-se da história de uma menina fascinada pelo amor, que imagina a vida dos outros e se dedica a observar os casais de pessoas e casais de animais.

A Porto Editora também lançará em banda desenhada "A Viagem do Elefante", de João Amaral, criada a partir do romance de José Saramago.

"Poesia Presente", uma antologia de António Ramos Rosa, falecido em 2013, será lançada pela Assírio & Alvim, preparada pela filha do poeta, Maria Filipe Ramos Rosa, que recupera o título de um projeto de antologia não concretizado que tinha sido, em tempos, idealizado pelo autor.

Ainda pela Assírio, será lançada "A Palavra Imediata — Livro de Horas IV", de Maria Gabriela Llansol, que, como os anteriores, tem a sequência cronológica dos diários manuscritos, mas é constituído por papéis avulsos dispersos existentes no espólio da autora, falecida em 2008.

Ainda em destaque entre cinco dezenas de obras está o livro "Amálgama", do brasileiro Rubem Fonseca, pela Sextante Editora.

O livro do escritor, já laureado com o Prémio Camões, aborda "os tempos duros que vivemos, metendo fundo o dedo nas feridas abertas desta sociedade plena de injustiças".

A obra "A Noite Abre Meus Olhos" vai reunir toda a poesia publicada por José Tolentino Mendonça, incluindo já os livros "Estação Central" e "A Papoila e o Monge".

As chancelas relançarão ainda vários livros de autores portugueses, nomeadamente de Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade, Maria Velho da Costa, o "Livro do Desassossego", de Fernando Pessoa, e "Assim Fala Geometria", com Almada Negreiros entrevistado por António Valdemar.

Entre os títulos, haverá também obras de autores estrangeiros a lançar pelas várias chancelas, entre eles o chef Jamie Oliver, Luis Sepúlveda e Carlo Petrini, Joyce Carol Oates, Alexander Söderberg, Stefan Zweig, Enrique Vila-Matas e Louise Doughty.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.