Açoriano Oriental
Requalificação do porto de Ponta Delgada aumenta operação de contentores em 68%

A requalificação do porto de Ponta Delgada, orçada em mais de 45 milhões de euros, irá permitir “um aumento de cerca de 68%” da capacidade de operação de contentores, destacou esta quarta-feira o presidente do Governo dos Açores.


Autor: Lusa/AO Online

“Como resultado desta obra que está a ser feita, naquilo que tem a ver com a operacionalidade, a capacidade de operação de contentores neste porto tem um aumento de cerca de 68%. Parte disso resulta diretamente da obra, a outra parte resulta daquilo que a obra permite, ou seja, uma reorganização da operação”, afirmou aos jornalistas Vasco Cordeiro.

O líder do executivo açoriano falava numa visita que assinala o arranque da obra de requalificação desta infraestrutura portuária, que terá “uma componente de requalificação” e outra de “melhoria das condições de operacionalidade do porto”, explicou.

A obra, que foi adjudicada por um valor superior a 38,6 milhões de euros, a que acresce IVA, totalizando cerca de 45,5 milhões de euros, conta com uma comparticipação de 32 milhões de euros em fundos comunitários e tem um prazo de execução de 36 meses.

Este investimento prevê a "colmatação das locas existentes no paramento do cais" e o "aumento do terrapleno em mais 25 metros, criando uma nova frente cais em caixotões pré-fabricados, aumentando a área de parque de contentores em, aproximadamente, 9.500 metros quadrados", adiantava, em agosto passado, a Portos dos Açores.

Além do aumento da capacidade da operação de contentores, a empreitada permitirá a operação de “três navios em linha, simultaneamente”, salientou Vasco Cordeiro.

“Este porto [de Ponta Delgada], nos últimos cinco, seis anos, teve um montante de investimento à volta dos 100 milhões de euros. Parte desse investimento foi de reconstrução de danos derivados de calamidades, mas parte foi também um esforço de melhoria da sua operacionalidade”, apontou o presidente do Governo Regional.

O governante esclareceu que, nesse valor, estão incluídos os 25 milhões de euros destinados à reabilitação do molhe que ficou danificado depois da passagem do furacão Lorenzo pela região, um investimento que “está em fase de ultimação de projeto”.

Para a empreitada que agora arranca estão previstas, ainda, subida da cota do bordo do cais, a construção de um novo edifício de operações portuárias, bem como a criação das infraestruturas de redes técnicas de todo o terrapleno, de abastecimento de iluminação, energia e água, drenagem pluvial e esgotos, sinalização viária e ainda a criação de uma zona dedicada a pesagem de camiões com trela, segundo a nota enviada pela Portos dos Açores aquando da adjudicação da obra.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.