Rede Portuguesa de Museus recebe 25 pedidos de adesão em seis meses


 

Lusa / AO online   Nacional   27 de Nov de 2007, 09:38

A Rede Portuguesa de Museus (RPM), entidade tutelada pelo Ministério da Cultura que se dedica à credenciação e qualificação na área museológica, recebeu 25 pedidos de adesão nos últimos seis meses, revelou à Agência Lusa fonte oficial.
De acordo com fonte do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC), desde 18 de Maio último, Dia Internacional dos Museus, quando foi anunciada a reabertura das candidaturas à RPM, após três anos de encerramento, um total de 25 entidades pediram a entrada na rede.

Desde a sua criação, em 2000, a RPM - organismo certificador da qualidade e funcionamento dos espaços museológicos - tem vindo a promover a partilha de conhecimento, serviços, recursos e "boas práticas" nesta área.

Conta actualmente com 120 museus, incluindo museus nacionais, tutelados pelas delegações da cultura dos Açores e da Madeira, da administração local e central, de empresas públicas, privados, fundações, da Igreja Católica e das Misericóridas.

As candidaturas à RPM foram encerradas em 2004 para reavaliação dos parâmetros de credenciação dos museus, na sequência da publicação da Lei Quadro dos Museus, recordou a mesma fonte do IMC.

Questionada sobre o número de museus existentes actualmente em Portugal, a fonte do IMC indicou que ascende a um milhar, "o que não quer dizer que correspondam todos a museus, pois existem desde pequenas salas com espólios de todo o tipo a casas-museus, e outros espaços de carácter local ou regional".

"É uma realidade sempre em crescimento", observou ainda, acrescentando que o número de museus em Portugal "está na média" de outros países europeus.

Lembrou que, para ser aceite e posteriormente credenciada, a entidade candidata tem de cumprir uma série de requisitos e funções.

Entre os museus da RPM contam-se o de Arte Sacra do Funchal, o de Cerâmica de Sacavém, o Museu Municipal de Aljustrel, a Casa-Museu Guerra Junqueiro no Porto, o Tesouro-Museu da Catedral de Braga, o Museu Arqueológico do Carmo, em Lisboa, e também os de fundações como Serralves e Calouste Gulbenkian.

Como sistema organizado baseado na adesão voluntária, que visa a descentralização, qualificação e cooperação entre museus, a RPM dá apoio técnico aos seus membros e também financeiro, através do apoio a projectos nas áreas da conservação, segurança, informatização, reservas, entre outras.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.