Euronext Lisboa

PSI 20 fecha a subir 0,14% com BPI em destaque negativo


 

Lusa / AO online   Economia   31 de Out de 2007, 16:07

A Euronext Lisboa fechou esta quarta-feira em alta ligeira, com o PSI 20 a subir 0,14 por cento, para 13.005,40 pontos, com o BPI a liderar as descidas do índice, no rescaldo da recusa do BCP aos termos da proposta de fusão amigável entre os dois bancos.
Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 12 subiram, dois ficaram inalterados e seis desceram, numa sessão com elevada liquidez, que ultrapassou os 474 milhões de euros.

O BPI e o BCP foram os dois títulos que mais desvalorizaram nesta sessão, reflectindo a incerteza do mercado face ao desfecho das negociações entre os dois bancos para uma eventual operação de fusão.

Na Europa os mercados encerraram em alta, com a farmacêutica Sanofi-Aventis, a fabricante de camiões MAN e os bancos Deutsche Bank e Societé Générale a pontuarem entre as maiores subidas.

Do lado das quedas, destaque para a gigante da biotecnologia Biotech e a petrolífera Petroplus.

    O índice de referência DJ Stoxx 50 subiu 0,64 por cento, para 3.877,14 pontos, enquanto o Euronext 100 valorizou 0,62 por cento, para 1.044,67 pontos.

As valorizações nas congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,44 por cento de Frankfurt e os 0,76 por cento de Paris.

Na Euronext Lisboa a maioria dos títulos terminou a subir, com a Impresa e a PT Multimédia a liderarem as valorizações.

A dona da SIC ganhou 2,8 por cento, a recuperar da queda da sessão anterior, e fechou nos 2,57 euros, enquanto a dona da TV Cabo subiu 1,62 por cento, para 9,39 euros, também a corrigir do "trambolhão" de segunda-feira.

A Brisa ganhou 1,55 por cento, para 9,80 euros, a reagir positivamente aos resultados trimestrais divulgados segunda-feira, que cresceram 5,4 por cento, para 142,5 milhões de euros.

Destaque ainda para a EDP, que hoje atingiu um máximo de mais de sete anos, ao tocar nos 4,48 euros, o valor mais alto desde Junho de 1998.

Os títulos da eléctrica fecharam a subir 1,14 por cento, para 4,44 euros, compensando, juntamente com a PT, as descidas do BCP e BPI.

A PT voltou a registar ganhos acentuados, terminando o dia a valer 9,25 euros, em alta de 1,09 por cento.

O BPI liderou o ranking das quedas, com uma desvalorização de 3,36 por cento, para 6,04 euros, logo seguido pelo BCP, que caiu 2,62 por cento, para 3,34 euros.

A Semapa completou o trio das maiores descidas, desvalorizando 0,80 por cento, para 11,20 euros.

Durante a sessão  foram transaccionados quase 106 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 474,4 milhões de euros.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.