PSD aponta "restrições" das novas tarifas aéreas propostas pelo Governo dos Açores

PSD aponta "restrições" das novas tarifas aéreas propostas pelo Governo dos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Nov de 2013, 18:42

O Governo dos Açores reiterou hoje que quer tarifas aéreas de 134 euros para os residentes das ilhas nas ligações para fora do arquipélago, mas o PSD considerou que a proposta do executivo não dá essa garantia.

O secretário regional do Turismo e Transportes, Vítor Fraga, disse hoje, no plenário do parlamento dos Açores, na Horta, que o executivo regional pretende aplicar o mais depressa possível as novas obrigações de serviço público nas ligações aéreas, que estão a ser negociadas com a República.

Para o deputado do PSD Jorge Macedo, a proposta que o Governo açoriano enviou para Lisboa não garante que todos os residentes nas ilhas poderão viajar para o continente por 134 euros, porque a tarifa tem "restrições" que obrigam ao pagamento da viagem nas 48 horas seguintes à reserva e à sua compra até 15 dias antes do voo.

Segundo o deputado, as tarifas poderão ascender a valores muito mais elevados, não havendo proteção dos residentes em todos os casos.

Na resposta, Vítor Fraga insistiu em que a intenção do Governo Regional é garantir uma tarifa de 134 euros mais taxas até à data do voo, cabendo às companhias aéreas definir "as regras de penalização" em caso de alteração da viagem.

É, afirmou, uma "tarifa semiflexível", mas destacou que não há novidade em relação à proposta do executivo, que foi enviada para Lisboa e é conhecida há mais de um ano e meio.

Segundo Vítor Fraga, o objetivo é proteger os açorianos daquilo que acontece em mercados totalmente liberalizados, como o da Madeira, em que os residentes naquela região chegam a pagar várias centenas de euros para ir a Lisboa.

O deputado do CDS Artur Lima sublinhou, por seu turno, que as tarifas ficarão, na realidade, acima dos 174 euros, porque as taxas custam, no mínimo, 40.

Este debate decorreu no âmbito do debate do orçamento dos Açores para 2014.

Na apresentação do orçamento para as áreas que tutela, Vítor Fraga destacou a aposta no turismo, depois dos "bons indicadores" de 2013.

Assim, para 2014, anunciou a definição de um "plano estratégico" para o turismo, "assumindo o horizonte 2020", sendo o "grande desígnio transformar os Açores num destino de excelência", o que passa pela "promoção, a valorização e qualificação da oferta".

Vítor Fraga anunciou ainda uma "nova operação no mercado alemão, que potenciará cerca de mais sete mil dormidas", o início de uma ligação aérea regular a Madrid e a continuação da campanha "Famílias" no verão de 2014, dirigida ao mercado nacional.

Reiterando que os trilhos pedestres são um "produto âncora" na oferta turística açoriana, disse que serão contratadas mais 37 pessoas em janeiro para a equipa de coordenação e manutenção dos caminhos.

A nível dos transportes, o governante garantiu que será aplicado em 2014, "de forma faseada", o Plano Integrado de Transportes, que visa a coordenação de ligações aéreas, marítimas e terrestres em todas as ilhas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.