Açoriano Oriental
UE/Cimeira
PSD/Açores quer 1.000 a 1.200 ME do Fundo de Recuperação para a região

O líder do PSD/Açores defendeu que a região deve receber 1.000 a 1.200 milhões de euros do Fundo de Recuperação europeu e que a taxa de cofinanciamento para o desenvolvimento rural seja de 85%.

PSD/Açores quer 1.000 a 1.200 ME do Fundo de Recuperação para a região

Autor: Lusa/AO Online

José Manuel Bolieiro, que se reuniu com a direção da Associação Agrícola dos Açores, na Ribeira Grande, declarou aos jornalistas que se estima que a quebra do Produto Interno Bruto (PIB) seja “muito significativa”.

Por isso, acrescentou, “tendo em conta os valores assumidos para Portugal, é justo reivindicarmos em nome dos Açores que o valor a atribuir para este período possa ascender aos 1.000 milhões a 1.200 milhões e com isso podermos fazer a recuperação dos prejuízos que a covid trouxe à economia e à sociedade”.

O Conselho Europeu aprovou na madrugada de terça-feira um acordo para retoma da economia comunitária pós-crise covid-19, num pacote total de 1,82 biliões de euros.

Deste Fundo de Recuperação, 390 mil milhões de euros serão atribuídos em subvenções (transferências a fundo perdido) e os restantes 360 mil milhões em forma de empréstimo.

Ao todo, Portugal vai arrecadar 45 mil milhões de euros em transferências nos próximos sete anos, montante no qual se incluem 15,3 mil milhões de euros em subvenções no âmbito do Fundo de Recuperação e 29,8 mil milhões de euros em subsídios do orçamento da União Europeia a longo prazo 2021-2027.

O dirigente do PSD/Açores referiu que tanto no Fundo de Recuperação como no quadro financeiro plurianual 2021-2027 “é preciso abrir o debate à sociedade” e promover a “concertação com os parceiros sociais para uma aplicação estratégica destes meios financeiros”.

José Manuel Bolieiro revelou que os eurodeputados do PSD, por sua sugestão, vão avançar com uma proposta no Parlamento Europeu para fixar a taxa de cofinanciamento financeiro para os projetos no âmbito do desenvolvimento rural em 85%.

“É uma desilusão que, ao contrário do que foi anunciado para o desenvolvimento rural, a taxa de cofinanciamento que está em cima da mesa é, afinal, de 80%", disse.

Ao comentar na terça-feira os resultados do Conselho Europeu, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, socialista, destacou ter sido possível manter as taxas de cofinanciamento nos 85% para as regiões no âmbito da política de coesão, não tendo referido em específico o desenvolvimento rural.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.