Pescador morre na sequência de queda de falésia em Cascais

Pescador morre na sequência de queda de falésia em Cascais

 

Lusa/AO online   Nacional   7 de Jan de 2018, 10:29

Um pescador de 56 anos morreu este sábado após ter caído de uma falésia junto ao Farol da Guia, em Cascais, indicou à agência Lusa o porta-voz da Marinha, comandante Pedro Coelho Dias.

De acordo com a mesma fonte, o alarme foi dado cerca das 17h00 pelo sobrinho do pescador, com cerca de 20 anos, que o acompanhava.

Foram desencadeadas operações de resgate do corpo por mar e por terra que se revelaram infrutíferas devido ao estado revolto do mar, com ondas de três metros, segundo a mesma fonte.

O porta-voz da Marinha indicou que o pescador escorregou da falésia, foi levado por uma onda, bateu nas rochas e caiu no mar, tendo as buscas envolvido os Bombeiros Voluntários de Cascais e uma embarcação salva-vidas por mar, numa operação coordenada pela Capitania do Porto de Cascais.

"Foi uma operação muito arriscada. Os bombeiros tentaram descer com cabos e o salva-vidas não conseguiu entrar devido ao estado revolto do mar", indicou o comandante Pedro Coelho Dias.

O responsável apelou aos pescadores para se “absterem de comportamentos arriscados em zonas de falésias ou arribas, sobretudo quando há mau tempo ou estado do mar agitado”.

As buscas por terra continuam, mas por mar foram interrompidas à noite, tendo sido retomadas às 07h30 de hoje, domingo, disse à Lusa o capitão do porto de Cascais, Pereira da Terra.

Segundo Pereira da Terra, as buscas vão decorrer por terra, por mar e pelo ar, com maior incidência na maré-baixa, que ocorrerá cerca das 12h30, porque “a visibilidade é melhor junto à costa”.

Nas buscas estão envolvidos elementos da Polícia Marítima e dos Bombeiros Voluntários de Cascais, da PSP, a corveta da Marinha João Roby e um meio aéreo da Força Aérea Portuguesa.

A vítima mortal, um homem de 56 anos, residia em Cascais.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.