Pelo menos três mortos e 30 feridos em dia de eleições no Afeganistão

Pelo menos três mortos e 30 feridos em dia de eleições no Afeganistão

 

Lusa/Ao online   Internacional   20 de Out de 2018, 18:26

Pelo menos três mortos e 30 feridos em explosões em Cabul marcaram este sábado as eleições legislativas no Afeganistão, que decorrem hoje num ambiente de caos, com ataques e importantes problemas logísticos nas assembleias de voto.

O Ministério do Interior informou ter registado "15 ataques inimigos" no país, a maior parte explosões com engenhos artesanais e tiros de roquetes.

Segundo Mohibullah Zeer, porta-voz adjunto do Ministério da Saúde, pelo menos três pessoas morreram e 30 ficaram feridas só na capital do país "na sequência de uma quinzena de incidentes" na proximidade das assembleias de voto.

Numa dessas assembleias, uma escola, um jornalista da AFP pôde constatar uma multidão de pessoas a fugir a correr, após uma explosão.

Numa outra assembleia de voto, "uma bomba explodiu no interior de uma mesquita que serviu de centro eleitoral. Um polícia foi ferido. Tudo foi suspenso", indicou à AFP Haroon Majidi, que testemunhou a cena.

Entretanto, o ministro do Interior do Afeganistão anunciou hoje que reforçou o número de tropas das Forças Nacionais de Segurança para 70.000, quando estavam previstos 50.000 militares em todo o país para garantir a segurança de 21.000 assembleias de voto, diz a AP.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, depois de dar o exemplo na abertura do escrutínio, votando numa escola da capital, Cabul, apelou aos seus compatriotas para "saírem e votarem".

Em resposta ao seu apelo, os eleitores formaram longas filas de espera na capital e arredores para votarem, o que acabou por gerar problemas nos locais de votação.

Alguns centros de voto não puderam abrir mesmo por falta de membros nas mesas de voto, falhas nas leis eleitorais ou mau funcionamento dos terminais de registo biométrico colocado nos locais e utilizado pela primeira vez no país.

Candidatos e eleitores estão juntos no desespero relata a Agência France-Presse (AFP).

A Comissão Eleitoral Independente (CEI), que organiza o ato eleitoral já apresentou desculpas e prometeu que os horários dos centros de voto serão prolongados.

Eleições em duas províncias, Kandahar e Ghazni, foram adiadas, assim como em 11 dos quase 400 distritos do país



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.