Pauleta anuncia oficialmente final da carreira

Pauleta anuncia oficialmente final da carreira

 

Lusa/AOonline   Futebol   17 de Nov de 2008, 11:19

O avançado Pauleta, melhor marcador da história da selecção portuguesa de futebol, com 47 golos, mais seis do que o “rei” Eusébio, anunciou oficialmente o final da sua carreira, numa entrevista publicada esta sexta-feira no diário francês “Le Parisien”.
“Decidi parar”, afirmou o goleador luso, também o número um dos marcadores do Paris Saint-Germain (109 golos), clube que representou entre 2003/2004 e 2007/2008, depois de passagens por Micaelense, Estoril, Salamanca, Deportivo e Bordéus.

    Pauleta explicou que “já tinha tomado a decisão no final da temporada transacta”, quanto terminou contrato com o PSG, mas que só agora a torna definitiva, isto apesar de ter recebido “propostas interessantes da Europa, Golfo Pérsico e dos Estados Unidos”.

    “Penso que é o momento de dizer que acabou, embora não seja simples. Como já tinha dito, esta situação tinha-se tornado delicada para mim e a minha família”, explicou o avançado, que havia abandonado a selecção lusa após o campeonato do Mundo de 2006.

    O jogador que destronou Eusébio da liderança da lista dos melhores marcadores da formação das “quinas”, ao totalizar 47 tentos em 88 internacionalizações “AA” (contra 41 em 64 do “rei”), afirmou, no entanto, que ainda se sentia pronto para voltar à acção.

    “Continuo a treinar-me e penso que no espaço de um mês era capaz de me colocar a um nível aceitável, mas essa já não é mais a minha ideia”, explicou Pauleta, que se estreou como internacional “AA” a 20 de Agosto de 1997 (3-1 à Arménia, em Setúbal).

    Em relação a nomes de clubes interessados, o avançado açoriano confessou ter tido um convite do AS Mónaco, equipa treinada pelo ex-futebolista do Benfica e internacional brasileiro Ricardo Gomes, que rejeitou por não querer jogar em outra equipa gaulesa.

    Face ao abandono do futebol, Pauleta está de regresso aos Açores, com a família, entre outras coisas a trabalhar na sua escola de futebol: “está tudo a correr bem”.

    Quanto ao futuro, ele deverá passar por ser “embaixador do Paris-Saint Germain” e “olheiro” do clube “em Portugal e Espanha”, face ao amor confesso pelo clube parisiense: “passou-se qualquer coisa de muito forte entre mim e o PSG”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.