Ordem lança campanha nacional para estreitar relação entre arquitetos e sociedade

Ordem lança campanha nacional para estreitar relação entre arquitetos e sociedade

 

LUSA/AOnline   Regional   12 de Out de 2013, 10:55

As secções regionais da Ordem dos Arquitetos vão lançar na terça-feira uma campanha nacional inédita no setor para estreitar a relação entre estes profissionais e o público, sensibilizar e esclarecer sobre o seu papel na sociedade.

Em declarações à agência Lusa sobre a campanha "Trabalhar com Arquitetos" - que irá decorrer até ao fim do mês de outubro através de cartazes nas ruas do país e informação nos media - Rui Alexandre, presidente da Secção Regional do Sul da Ordem dos Arquitetos (OA), sublinhou que o grande objetivo é divulgar o trabalho dos profissionais.

"O reconhecimento do público em relação à obra arquitetónica tem crescido no nosso país, mas em relação ao papel do arquiteto como profissional talvez o sucesso não seja tanto", apontou, sublinhando que "há uma necessidade maior de promover a relação entre o arquiteto e o cliente".

A campanha, indicou Rui Alexandre, pretende "perceber como se pode melhorar essa relação e aproximar os arquitetos à sociedade".

"Trabalhar com Arquitetos" vai envolver um sítio na Internet - www.trabalharcomarquitetos.pt – no qual se explica de forma acessível todas as tarefas destes profissionais e as perguntas mais comuns sobre a profissão, como por exemplo o que é um projeto, a diferença entre trabalhar com um arquiteto e um engenheiro ou empreiteiro, e as vantagens de trabalhar com arquitetos.

"Obter qualidade na construção ou na reabilitação é a maior vantagem", apontou o presidente da Secção Regional do Sul da OA sobre a campanha que é dirigida ao público em geral para esclarecer e informar sobre o que o arquiteto faz no seu quotidiano.

Estará ainda disponível um glossário, um diretório de arquitetos e outras informações sobre o perfil desta classe profissional.

Para o arquiteto Rui Alexandre, a campanha "entra em contraciclo com a conjuntura atual: se estamos em crise temos que agir para melhorar o estado das coisas, intensificar a relação com o cliente, e eventualmente aumentar o volume de trabalho".

Com o forte impacto negativo da crise económica no setor da construção em Portugal, muitos arquitetos foram forçados a emigrar ou a procurar outras saídas profissionais.

"Hoje em dia a obra de raiz é mais rara do que há uns anos, e a aposta agora é na reabilitação daquilo que já existe", salientou, comentando que a reabilitação "não tem de ser necessariamente cara".

Questionado sobre o investimento financeiro na campanha, o presidente da Secção Regional do Sul da Ordem dos Arquitetos indicou que o valor monetário foi de cerca de 30 mil euros, mas contando globalmente com as parcerias com outras entidades públicas e privadas, e o apoio em géneros, ascende a 100 mil euros.

A OA assinalou esta semana o Dia Mundial da Arquitetura em Portugal com o arranque de um programa de exposições e debates que se vai prolongar até ao final de outubro em vários pontos do país.

Este ano, a OA celebra ainda os 150 anos da criação das Associações Profissionais de Arquitetos, das quais esta entidade é herdeira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.