Novos confrontos no centro de Atenas no início de uma greve geral de 24 horas

Novos confrontos no centro de Atenas no início de uma greve geral de 24 horas

 

Lusa/AO Online   Internacional   10 de Dez de 2008, 10:54

Manifestantes confrontaram-se hoje, no centro de Atenas, com a polícia no início de uma greve geral de 24 horas, convocada há um mês, testemunharam jornalistas.

  Vários milhares de pessoas concentraram-se no centro da capital grega para novos protestos pela morte de um adolescente no sábado e no início de uma greve geral de 24 horas.

    O grupo mais importante, formado por estudantes e professores, começou a desfilar em direcção à praça central de Syntagma, onde se encontra o parlamento grego, com faixas a pedir a demissão (do primeiro-ministro) Costas Caramanlis e a chamar ao governo «Estado de assassinos».

    Várias centenas de militantes da Frente comunista sindical (Pame), reunidos devido à greve, iniciaram uma marcha na direcção do Ministério do Trabalho.

    As duas grandes centrais sindicais do país, a Confederação Geral dos Trabalhadores Gregos (GSEE, 600.000 membros) e a Federação dos Funcionários (Adedy, 200.000) apelaram à realização de uma concentração de trabalhadores «tranquila» defronte do parlamento, na praça Syntagma, a partir de meio do dia.

    Os sindicatos ignoraram um apelo do primeiro-ministro grego, Costas Caramanlis, num discurso proferido terça-feira à noite, para renunciarem às manifestações e evitarem qualquer confusão entre a luta dos trabalhadores e os protestos pela morte do adolescente Alexis Grigoropoulos, 15 anos, sábado, em Atenas, por um agente policial.

    Na terça-feira e pelo quarto dia consecutivo foram registados confrontos após as cerimónias fúnebres do adolescente em Paleo Faliro, um subúrbio da capital grega próximo do porto do Pireu.

    A violência recomeçou após o funeral nas imediações do cemitério, e depois em Atenas, Patras (ocidente) e Salonica (norte), prolongando a vaga de manifestações que começou sábado à noite depois da morte do jovem grego.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.