Mel contaminado com fitofármacos está a ser vendido no arquipélago

Mel contaminado com fitofármacos está a ser vendido no arquipélago

 

Miguel Bettencourt Mota   Regional   24 de Out de 2018, 09:12

O alerta é dado pela Casermel, que lamenta a qualidade do mel vendido às pessoas, apesar de não representar perigo imediato para a sua saúde.

Há mel contaminado e ‘de segunda’ a chegar às mesas dos açorianos e a responsabilidade é, tanto de alguns produtores da Região, como dos estabelecimentos comerciais que estão a colocá-lo à venda.


O alerta é deixado pela Casermel - Cooperativa de Apicultores e Sericicultores de São Miguel, denunciando que há mel a ser embalado e, posteriormente, comercializado que contemplou a introdução de fitofármacos aquando do respetivo processo de produção.


Neste momento, existem empresas regionais que, pese embora o facto de estarem a cumprir com os trâmites legais, estão a importar mel de apicultores do continente português e de outros pontos do mundo, que em busca de uma maior capacidade de produção e rentabilidade, “alimentaram as abelhas com xaropes de água e açúcar”, começou por indicar em declarações a este jornal Mário Feijoca, membro do Conselho Fiscal da Casermel.


Leia mais na edição do jornal Açoriano Oriental, desta quarta-feira, dia 24 de outubro 2018



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.