RDCongo

Líder dos rebeldes congoleses disposto a integrar exército do país

Líder dos rebeldes congoleses disposto a integrar exército do país

 

Lusa/AOonline   Internacional   17 de Nov de 2008, 10:39

O enviado especial da ONU à República Democrática do Congo (RDCongo), Olusegun Obasanjo, afirmou que o líder dos rebeldes congoleses manifestou a disposição de integrar o exército regular daquele país, em troca de garantias internacionais.
Laurent Nkunda, ex-general das forças armadas da RDCongo (FARDC), do qual desertou, "está a debater a integração dos seus homens no exército nacional e está mesmo disposto a continuar a servir o exército, porque gosta da carreira militar", afirmou Obasanjo à imprensa.

    O antigo Presidente da Nigéria, nomeado no início do mês enviado especial da ONU para a RDCongo falava à imprensa um dia depois de se reunir com Nkunda perto de Goma, capital da província do Kivu Norte (leste do país).

    "Ele quer garantias da ONU e da União Africana relativamente a isto", adiantou.

    Segundo o mediador, Nkunda recusa qualquer proposta que o obrige e aos seus homens a sair do país.

    O Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), dirigido por Laurent Nkunda, um tutsi, lidera desde 28 de Agosto uma rebelião contra as forças congolesas na região leste do país.

    Obasanjo tinha afirmado domingo, em Goma, ter chegado a um acordo com Nkunda sobre a criação de uma comissão tripartida, para garantir que será respeitado um cessar-fogo entre forças regulares e rebeldes.

    "Nkunda disse acreditar num cessar-fogo acordado e respeitado pelas duas partes", adiantou o mediador da ONU.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.