Economia

Investidores atentos a bancos centrais e dados macroeconomicos da Zona Euro e EUA

Investidores atentos a bancos centrais e dados macroeconomicos da Zona Euro e EUA

 

LUSA/AOnline   Economia   4 de Set de 2011, 19:35

A atenção dos investidores esta semana deverá voltar-se para as decisões e perspetivas económicas que serão conhecidas do Banco Central Europeu, Banco de Inglaterra e da Reserva Federal norte-americana, e para dados de atividade dos países do euro.

O Banco Central Europeu e o Banco de Inglaterra reúnem esta quinta-feira, e darão a conhecer as suas decisões sobre as taxas de juro de referência para cada uma das regiões económicas de que estão responsáveis, sendo expectável que ambos mantenham as atuais taxas sem alterações (1,5 por cento na Zona Euro e 0,5 por cento no Reino Unido).

Nos Estados Unidos, cuja bolsa estará encerrada na segunda-feira por se comemorar o dia do trabalhador, a Reserva Federal dará a conhecer o seu livro bege, com indicações sobre a evolução das condições económicas na maior economia do mundo.

Os investidores deverão ainda estar atentos a uma série de dados macroeconómicos tanto na Zona Euro como nos Estados Unidos.

“Em termos de dados macroeconómicos salientamos os valores finais dos PMI Serviços da Zona Euro e da Alemanha, não estando o consenso a antecipar alterações face ao valor preliminar. Por seu lado, o PMI Serviços do Reino Unido deverá deslizar de 55,4 para 54,3 e o ISM Serviços norte-americano deve descer de 52,7 para 51,2. Ainda em destaque estará a segunda estimativa do PIB da Zona Euro relativo ao 2º trimestre, que deve continuar a apontar para um crescimento de 0,2 por cento da economia em termos trimestrais”, disse a analista de ações Millennium investment banking Telma Santos, a partir do consenso de analistas.

Serão ainda conhecidas as vendas a retalho na Zona Euro, que os analistas antecipam que tenha estagnado em Julho, e também deverá sair o valor final da inflação na Alemanha, juntamente com as encomendas às fábricas e produção industrial.

Do outro lado do atlântico, serão conhecidos os ‘stocks’ dos grossistas norte-americanos, prevendo-se uma subida de 0,8 por cento em julho, e o crédito ao consumo, que deve ter aumentado seis mil milhões em julho.

Em Portugal, a semana será repleta de dados macroeconómicos, com o INE a divulgar o Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria na terça-feira, as contas nacionais trimestrais referentes ao segundo trimestre e o Índice de Novas Encomendas na Indústria na quinta-feira.

Na sexta-feira serão reveladas as Estatísticas do Comércio Internacional referentes a julho e o Índice de Custos de Construção de Habitação Nova e Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.