Açoriano Oriental
Hospital de Ponta Delgada vai admitir quatro farmacêuticos

O Hospital de Ponta Delgada, onde os farmacêuticos apresentaram declarações de exclusão de responsabilidade por falta de condições de trabalho, vai contratar quatro novos profissionais, declarou o bastonário da Ordem dos Farmacêuticos.

Hospital de Ponta Delgada vai admitir quatro farmacêuticos

Autor: Lusa

Hélder Mota Filipe, que se reuniu hoje, em Ponta Delgada, com a administração do Hospital do Divino Espírito Santo, referiu, em declarações aos jornalistas, que “houve muita transparência e abertura e reconhecimento das dificuldades, que não muitas vezes frequentes” por parte das administrações.

Os farmacêuticos do Hospital do Divino Espírito Santo apresentaram declarações de exclusão de responsabilidade por falta de condições de trabalho, segundo disse à agência Lusa na quinta-feira a delegada regional da Ordem.

“Treze farmacêuticos, que são a totalidade dos farmacêuticos em pleno exercício de funções no hospital, apresentaram a escusa de responsabilidade”, alegando “falta de recursos humanos que põem em causa a sua atividade diária”, adiantou a delegada Regional nos Açores da Ordem dos Farmacêuticos (OF), Juliana Matos.

Segundo a representante, os farmacêuticos também apontam “carências e falta de intervenções nos recursos físicos existentes e a degradação dos que [o HDES] já tem, e que condicionam o bom exercício farmacêutico”.

Hoje, o bastonário apontou que a administração “demonstrou estar ciente dos problemas quer dos recursos humanos, quer das infraestruturas e que está neste momento a fazer um esforço grande” visando ultrapassar as dificuldades.

“Ficámos todos convencidos desse esforço. Iniciaram um processo de contratação de quatro farmacêuticos, o que demonstra vontade de resolver o problema”, declarou Hélder Mota Filipe, que salvaguardou que “esses processos demoram pelo menos um ano”.

O bastonário referiu ainda que, a nível dos recursos materiais, “há um esforço claro para os resolver com contactos com empresas e técnicos especializados, mesmo fora dos Açores, para que o assunto seja resolvido”.

“Há ambiente para que esta situação se resolva aqui no hospital”, afirmou Hélder Mota Filipe, que adiantou que "provavelmente [eram necessários] mais farmacêuticos, mas quatro são um bom início”, sendo que este ano foram aceites, entretanto, dois internos no Hospital de Ponta Delgada.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados