Hermínio Loureiro defende aposta nas novas tecnologias


 

Hélder Blayer   Futebol   10 de Out de 2007, 17:52

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Hermínio Loureiro, defendeu hoje a aposta nas novas tecnologias que garantam a "defesa da verdade desportiva", a exemplo de modalidades como a natação, atletismo, râguebi, ténis e futebol americano.
    Hermínio Loureiro, que falava na cerimónia comemorativa do primeiro ano de mandato, adiantou ter solicitado audiências formais à Federação Portuguesa de Futebol, à Associação das Ligas Europeias e à UEFA, e garantiu que Portugal tem condições para liderar este processo de "vital importância para o futuro do futebol".

    O presidente da LPFP sugeriu a introdução do "chip" na bola, o controlo electrónico das linhas de baliza e "outras inovações", que não especificou, e disse esperar "críticas e sorrisos típicos de quem não acredita" no sucesso deste caminho, garantindo que não se resigna até que "os senhores do futebol europeu e mundial reconheçam a nossa razão".

    Apesar de ter lembrado a melhoria das condições fornecidas aos árbitros ao longo do último ano, Loureiro admitiu que o projecto de profissionalização e a maior dedicação de tempo à actividade, não faz dos juízes "seres infalíveis", embora lhes garante "mais capacidade e responsabilidade".

    No âmbito da revisão estatutária da Liga, Hermínio Loureiro anunciou a comissão incumbida desta matéria entregará "uma primeira versão até final do mês de Novembro" e anunciou que os clubes dos dois escalões profissionais terão direito a um voto, considerando que esta será uma "alteração profunda do paradigma democrático da instituição".

    A criação de um grande torneio de abertura da temporada, "um torneio de excelência" e de "prestígio internacional", com a participação de "três grandes emblemas do futebol europeu", foi a outra grande novidade anunciada pelo presidente da Liga.

    O processo "Apito Dourado" também não foi esquecido. Hermínio Loureiro sublinhou que esta matéria "não está em gavetas ou armários", sendo mesmo uma "prioridade", pelo que até final da época desportiva "todos os factos que integram esse processo e implicam avaliação da justiça desportiva da Liga, vão ser avaliados e decididos".

    Hermínio Loureiro considerou, no entanto, "estranhos" os "entraves imprevistos" daqueles que "durante meses a fio, para não dizer anos" afirmaram que as instâncias desportivas "nada faziam ou nada fizeram", deixando uma interrogação: "Será que os mesmo que acusavam a Liga de nada fazer não querem que a Liga faça nada?".

    As relações com o Governo também não foram esquecidas, com o presidente da Liga a exigir uma "nova atitude" do poder político e a dar como exemplo a Espanha, onde "o Estado não asfixia, antes investe, porque reconhece também a importância social deste desporto".

    "Não é possível aceitar que o futebol esteja sempre fora de qualquer incentivo", afirmou, antes de defender que o "futebol concorra, em pé de igualdade com outras indústrias e outros sectores de actividade, a fundos públicos para que tudo o que seja garantir mais segurança aos espectadores e maior facilidade de acesso aos recintos desportivos".

    Ainda neste âmbito, foi claro: "Não quero permitir que o Quadro de Referência Estratégica Nacional 2007-2013 passe ao lado do futebol".

    A necessidade de regulação das apostas desportivas também foi mencionada e o presidente da Liga voltou a ser incisivo: "A hora de tomar decisões aproxima-se e queremos assumir todas as nossas responsabilidades, direitos e obrigações".

    A modernização da emissão e aquisição de bilhetes de futebol, a instituição da figura do provedor do adepto do futebol, o enquadramento dos horários dos jogos e as transmissões televisivas e a criação do museu do futebol foram outra medidas referidas por Hermínio Loureiro.

    Numa cerimónia que contou com a presença de representantes de vários clubes e organismos, entre os quais Gilberto Madaíl (FPF), Hermínio Loureiro enumerou as várias mudanças operadas durante o primeiro ano de mandato, destacando a captação de patrocinadores para as várias competições.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.