Governo dos Açores vai rever financiamento dos Centros de Atividades Ocupacionais

Governo dos Açores vai rever financiamento dos Centros de Atividades Ocupacionais

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Jan de 2019, 08:44

O Governo dos Açores vai rever o financiamento dos Centros de Atividades Ocupacionais (CAO) e avançar com estudos de avaliação da satisfação dos utentes e familiares, anunciou o líder do executivo.

Vasco Cordeiro pretende com a revisão do financiamento melhorar a qualidade do serviço prestado pelos CAO, espaços de apoio a pessoas com deficiência.

O líder do executivo regional falava na cerimónia de assinatura do contrato da empreitada de reabilitação do CAO da Santa Casa da Misericórdia da Calheta, na ilha de São Jorge, um investimento orçado em cerca de 250 mil euros.

O governante referiu que se encontram em fase de elaboração os questionários para o estudo de avaliação da satisfação dos utentes e dos seus familiares em relação ao serviço prestado pelos CAO.

Vasco Cordeiro, naquele que constitui o segundo dia da deslocação do executivo açoriano a São Jorge, adiantou que vão ser criadas (60) e reabilitadas (145) cerca de 200 vagas nos CAO no âmbito de parcerias público-privadas com as instituições que dão apoio à deficiência.

O presidente do Governo recordou que nos últimos anos foram construídos três novos CAO nas ilhas de São Miguel, Graciosa e Terceira, tendo dois dos já existentes sido alvo de remodelação, um em São Jorge e outro em São Miguel, enquanto está a decorrer o CAO da Associação Seara do Trigo, com capacidade para 70 utentes.

Vasco Cordeiro disse que está ainda prevista a construção do CAO e Lar Residencial da Associação de Paralisia Cerebral de São Miguel, do CAO e Lar Residencial da Santa Casa da Misericórdia da Lagoa, assim como a requalificação das instalações do Centro de Apoio à Deficiência da Aurora Social e da Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo.

Desde 2014 que o Governo Regional investiu nove milhões de euros nesta área, criando e renovando 370 vagas no arquipélago, segundo Vasco Cordeiro, que anunciou a realização de ações de formação em várias áreas destinadas ao pessoal técnico e auxiliar que trabalha nos CAO e lares residenciais.

No âmbito da visita oficial do Governo Regional a São Jorge, ainda no capítulo do apoio social, a secretária regional da Solidariedade Social anunciou, nas Velas, que a meta estabelecida pelo Governo dos Açores para dotar a região de 100 novas camas em lares de idosos nos anos de 2018 e 2019 será ultrapassada até ao final deste ano.

O Governo Regional termina quinta-feira a sua visita a São Jorge, ilha com cerca de 10 mil habitantes, espalhados por dois concelhos - Velas e Calheta -, conhecida pela qualidade do seu queijo e das suas conservas de atum, bem como pela beleza natural das suas fajãs.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.