Governo dos Açores não vai "brincar às experiências" com programas do secundário

Governo dos Açores não vai "brincar às experiências" com programas do secundário

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Nov de 2013, 18:21

O secretário regional da Educação, Luíz Fagundes Duarte, disse hoje que o Governo dos Açores não vai andar a "brincar às experiências" com os programas de algumas disciplinas do secundário nas escolas do arquipélago.

O governante, que falava no final da uma audição na Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Regional, na cidade da Horta, respondia a uma pergunta dos jornalistas sobre se a Região iria aplicar as alterações aos programas de Português, Matemática e Física e Química A do ensino scundário, propostos pelo Ministério da Educação.

"Não andamos a brincar às experiências, achamos que no essencial as nossas escolas têm funcionado, os nossos professores são bons, temos um quadro docente estabilizado e vamos é pô-los a funcionar", frisou o secretário.

O titular das pastas da Educação no Governo dos Açores ressalvou que, no entanto, no caso dos exames nacionais, o arquipélago tem de estar em consonância com os programas nacionais.

"Não precisamos de andar a brincar com inovações de programas, a não ser naquelas situações em que os nossos jovens, por que estão sujeitos a exames nacionais, terão de confrontar-se com os seus colegas do todo nacional, e nesse caso, teremos que ter em atenção os programas, para que os nossos jovens tenham as mesmas condições de igualdade", advertiu.

Fagundes Duarte foi ouvido hoje na Comissão de Assuntos Sociais do parlamento açoriano no âmbito da apreciação das propostas de plano e orçamento regionais para 2014, que serão debatidas e votadas em plenário no final do mês.

O titular das áreas da Educação, Ciência, Cultura, Juventude e Desporto no executivo açoriano disse que uma das prioridades em matéria de investimento para 2014 é a recuperação do parque escolar do arquipélago e a formação, nas diferentes áreas.

"Este Plano e Orçamento tem como objetivo fundamental, investir na formação e no apoio às instituições culturais, de forma a premiar e incentivar o mérito e beneficiar aqueles que investem na formação", sustentou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.