FIFA diz "não ter encontrado provas de conluio" na candidatura ibérica


 

Lusa/AO online   Futebol   18 de Nov de 2010, 10:33

Portugal e Espanha foram ilibados das suspeitas de troca de votos com o Qatar, nas candidaturas aos Mundiais de futebol de 2018 e 2022, anunciou esta quinta-feira o presidente da Comissão Ética da FIFA, sublinhando que “não há prova”.
A suspeição tinha sido levantada pelo Sunday Times e tinha levado à abertura de um inquérito, já concluído e sobre o qual a FIFA entendeu não haver matéria para punir as pretensões ibéricas.

“Depois de investigar as suspeitas contra Portugal e Espanha não encontrámos bases para demonstrar que houve conluio”, disse Cláudio Sulser em relação a um possível intercâmbio de votos com o Qatar, que concorre à organização do Mundial de 2022.

Ainda em relação à candidatura ibérica, cujo foco está na organização de 2018, as suspeitas foram desencadeadas por declarações prestadas por Michen Zen-Ruffinen, antigo secretário-geral da FIFA, a dois jornalistas do Sunday Times, que fizeram passar por representantes de uma sociedade que trabalharia para a candidatura norte-americana.

“Eles começariam com sete (votos), o que não seria esperado pelos outros candidatos. Isto não é um rumor, é um facto”, disse Zen-Ruffinen, sem saber que estava a ser filmado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.