Emprego

Empresas da região pedem poucos apoios para contratar deficientes


 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Dez de 2008, 10:45

Apenas 17 empresas açorianas recorreram a apoios públicos para contratarem pessoas com deficiência, um número que os responsáveis regionais da associação de deficientes consideram demonstrativo das “muitas reservas” das entidades empregadoras nesta área.
  O Governo açoriano disponibilizou, desde 2000, cerca de 134 mil euros para apoiar a integração no mercado de trabalho do arquipélago de pessoas com deficiência, adiantou fonte da direcção regional do Trabalho à agência Lusa.

    Segundo a mesma fonte, esse montante refere-se a apoios atribuídos para sete contratações a termo, nove contratos sem termo (quadros) e para apoiar a instalação de um estabelecimento na ilha Terceira.

    Até ao momento, apenas receberam apoios empresários das ilhas de São Miguel (6), Terceira (7), Faial (2), Pico (1) e Flores (1), no quadro de projectos de integração no mercado de trabalho de portadores de deficiência.

    Apesar dos apoios financeiros e técnicos às entidades empregadoras que se proponham criar postos de trabalho para portadores de deficiências, a presidente da delegação de São Miguel da Associação Portuguesa de Deficientes salientou que "ainda existem muitas reservas" por parte das empresas.

    "As entidades podem pressentir que estas pessoas podem dar menos rendimento. Olham para as limitações físicas e não para as capacidades", disse à agência Lusa Ana Coutinho, que dirige a delegação de São Miguel da Associação Portuguesa de Deficientes, uma estrutura com cerca de 450 associados.

    Segundo disse, existem medidas nesta área, mas “contam-se pelos dedos” as pessoas portadoras de deficiência que facilmente conseguem arranjar emprego.

    Uma situação constatada pelos próprios sócios, que se "queixam também de muita burocracia na legislação" para poderem concretizar um projecto e instalarem-se por conta própria, frisou.

    "É preciso olhar as capacidades e esquecer as limitações", apelou Ana Coutinho, chamando a atenção para a igualdade de oportunidades entre todos os cidadãos, uma mensagem que consta também dos cerca de 5.000 panfletos que estão disponíveis em todos os postos de correio de São Miguel, no âmbito do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

    No âmbito do Mercado Social de Emprego, a Administração Regional concede incentivos para a instalação por conta própria e, ainda, para as entidades empregadoras que admitam trabalhadores portadores de deficiência, consoante a modalidade de contrato.

    O apoio à adaptação técnico-funcional de postos de trabalho e para eliminação de barreiras arquitectónicas são outras das situações previstas na legislação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.