Condutora do automóvel chocada com acidente na A-23


 

Lusa / AO online   Nacional   6 de Nov de 2007, 15:47

A condutora do automóvel envolvido no acidente com um autocarro da Câmara de Castelo Branco na A-23 encontra-se em casa do pais, em Belmonte, depois de ter tido alta do Hospital da Covilhã, mas ainda está visivelmente transtornada.
"A minha filha está muito chocada, nem está em condições de falar", disse à agência Lusa a mãe, Maria do Céu Rodrigues.

Carina Rodrigues, de 31 anos, regressava a casa na noite de segunda-feira com uma acompanhante, residente no Canhoso (Covilhã), e ambas sofreram apenas ferimentos ligeiros no choque com o autocarro.

Professora numa escola de Mação, a condutora é casada e tem um filho de nove meses.

"Não teve ferimentos, mas estamos preocupados com o estado psicológico", acrescenta o marido, José Lourenço.

Tanto a mãe como o marido dizem que já tentaram dialogar com Carina Rodrigues, "mas ela não consegue descrever o que se passou. Não tem noção da situação".

Segundo José Lourenço, a mulher regressava de uma reunião na escola, complementar à actividade lectiva. "Já sabia que vinha tarde. Hoje ia ter outra reunião", descreve.

Foi o marido que segunda-feira a transportou noutra viatura particular do casal desde o local do acidente até ao Hospital de Castelo Branco.

"Tinha marcas no pulso e no pescoço, não sofreu ferimentos graves. Mas não foi possível conversar e perceber como as coisas se passaram", acrescenta.

Acabaria por ser transferida durante a noite para o Hospital da Covilhã, onde teve alta pelas 8:00 (hora local).

Na casa dos pais, esta manhã, uma amiga ajudava a mãe nos cuidados com Carina e a preparar o almoço para o neto, enquanto a descrevia como "uma pessoa calma e alegre".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.